A espera chegou ao fim: Chelsea a uma vitória do título incontestável

Getty Images
Getty Images

Quem é que para o homem? 20 gols para Diego Costa na Premier League


Quando o Chelsea derrotou o Leicester City no King Power Stadium por 3 a 0, resumi o significado daquela vitória como se fosse uma longa viagem de carro em que o filho, impaciente com a demora, insistentemente perguntava ao pai: falta muito para chegar? 


ESPN FCLeicester 0-3 Chelsea: falta muito pra acabar?


Na ocasião, o confronto foi válido pela 21ª rodada da Premier League, portanto, o campeonato estava completamente indefinido. Entretanto, diante do ótimo futebol demonstrado em campo, era difícil imaginar que o título fosse escapar tão facilmente. 



O Chelsea segue numa espécie de viagem, que tem como destino final a taça da Premier League. O caminho ainda é longo, mas a estrada é boa. O motorista é consciente, assim como seus passageiros. É precisa manter o ritmo - nem é preciso acelerar demais, mas também não pode ficar para trás.



Daqui uns meses, repetiremos a pergunta: falta muito para chegar?



E, desta vez, todos nós torcemos para a resposta seja a melhor possível: "Sim, estamos quase lá".



Foi exatamente desta maneira que o Chelsea se comportou desde o triunfo sobre os Foxes. Mesmo com o caminho livre à frente, não acelerou demais e menteve o ritmo. Houve momentos em que pensamos que o carro fosse pifar (derrotas para Tottenham, Crystal Palace e United), mas, quando o motorista é bom e conhece bem seu veículo e suas peças, não há motivo para se preocupar: sempre estivemos em boas mãos.


A derrota do Tottenham contra o West Ham praticamente acabou com as esperanças de tirar a taça do Chelsea - se é, de fato, que houve esperança nesse desejo inalcançável.


Como deixou bem claro o ótimo blogueiro dos Spurs: "De novo, o Tottenham não perdeu o título, simplesmente porque nunca esteve em posição de defendê-lo (em português mais claro, pra quem está se esforçando pra não entender, a liderança definitiva nunca foi alcançada). É impossível perder algo que nunca se teve".


A vitória sobre o Middlesbrough na última segunda-feira (8) só tornou mais evidente aos críticos o porquê do Chelsea merecer a conquista do campeonato. O placar de 3 a 0 reuniu todas as qualidades que os Blues apresentaram ao longo da competição: time compactado, consciente tanto na parte ofensiva quanto defensiva, jogadas e toques rápidos, lançamentos, constantes viradas de jogo e qualidade individual.



Por falar em talento individual, o destaque fica por conta do maestro Fàbregas. A maneira como ele consegue deixar tudo mais simples é apaixonante. Enxergou Diego Costa e deu um cruzamento milimétrico para que o centroavante anotar o primeiro. Depois, deu um tapa sutil na bola para Matic fechar o placar. 


Outra característica marcante diante do Boro - e que marcou a campanha dos Blues - foi a constante presença dos alas no campo de ataque e, como sempre, Marcos Alonso sendo extremamente decisivo. Logo no primeiro minuto de jogo, recebeu ótimo lançamento e acertou a trave. Minutos mais tarde, novamente invadiu a área e desta vez não perdoou. Victor Moses, depois de passe de Fàbregas, teve a chance de fazer o seu, mas parou em Guzan. 


Não há muito o que dizer sobre a vigésima sétima vitória do Chelsea. Foi assim como as tantas outras ao longo do campeonato: cirúrgica


A espera acabou, torcedor. Nesta estrada em que o Chelsea percorreu, o time já enxerga com extrema clareza o destino final. Agora seria a parte em que a voz do aplicativo Waze diria: "Mais uma vitória e você chegará ao seu destino".