O Chelsea balança: tudo deu errado em Old Trafford

Getty Images
Getty Images

É, Diego Costa... Quem te viu, quem te vê


Ao mesmo tempo em que começo este texto, outra aba está aberta com a classificação da Premier League. A distância, que chegou a ser de dez pontos, agora são quatro. A Premier League está em aberto a seis rodadas do fim.


ESPN.com.br | Manchester United acaba com freguesia no clássico, e Chelsea vê vantagem na liderança cair para 4 pontos


Ser derrotado diante do Manchester United, em pleno Old Trafford, não é catastrófico. Na verdade, era bem óbvio. O United encarou o confronto como uma verdadeira final - e não poderia ser diferente. Depois de ser castigado em Stamford Bridge, tanto pela Premier League quanto pela FA Cup, José Mourinho precisava se vingar.


Mas a forma como a derrota se sucedeu foi surpreendente. Primeiro, com surpresa na escalação: Thibaut Courtois, lesionado, deu lugar a Begovic, que não inspira a mínima confiança embaixo das traves.


Depois, durante o aquecimento, Marcos Alonso, que vinha sendo uma das principais peças da equipe, sentiu desconforto muscular e foi sacado, com Zouma em seu lugar. Sem dois dos principais jogadores na equipe titular, a tragédia estava anunciada. 



Curta o Pride of London no Facebook



Como se não bastasse as ausências, Conte insistiu em Matic no lugar de Fàbregas. Dito isso, a proposta era bem óbvia: um empate em Old Trafford era o principal objetivo.


O problema é que, ainda antes dos dez minutos, a arbitragem, tão ruim quanto o brasileira, conseguiu estragar o confronto: Herrera cortou passe de Matic, como se jogasse Handebol, e lançou Rashford, que ganhou na corrida e abriu o marcador. 


Quando você tem a vantagem no placar e seu treinador é José Mourinho, as chances de uma reação são mínimas. E foi assim durante todo o jogo: o time da casa cozinhou a partida e explorava as laterais do Chelsea, mas sem muito sucesso.


No começo da segunda etapa, um chute despretensioso de Herrera desviou na zaga e matou Begovic. 2 a 0 e o Chelsea conhecia sua quinta derrota na competição. Tudo deu errado para os Blues na tarde deste domingo. 


A equipe, ainda que conseguiu bons resultados diante de Manchester City e Bournemouth, já não é mais a mesma. Antes acostumado a vencer seus adversários sem sofrer gols, a defesa do Chelsea deixou de passar segurança e, nas últimas nove rodadas, terminou as partidas com ao menos um gol sofrido.


Enquanto Hazard cresceu de produção nos últimos jogos, Diego Costa e Pedro estão irreconhecíveis. O Chelsea começa a mostrar sinais de desgaste justo na reta final do campeonato num momento em que os Spurs estão cheios de confiança e dando a vida a cada confronto.


Quando o Chelsea foi derrotado pelo Crystal Palace, deixei bem claro: 



Num campeonato como a Premier League, nenhuma equipe pode dar chance para o azar. O Chelsea, a oito rodadas do fim, deu a brecha.



No final das contas, tudo se resume a um pensamento que está entalado na garganta: que merda, viu. Que merda.