Burnley 1-1 Chelsea: mais um ponto, menos uma partida

A primeira lembrança que eu tinha do Burnley foi há quase três anos. Na ocasião, os Clarets, recém-promovidos à Premier League, receberam o Chelsea no Turf Moor. Foi o primeiro triunfo dos Blues no que resultaria com a conquista do campeonato sob o comando de José Mourinho em 2014/15.



Curta o Pride of London no Facebook



A discrepância entre a Championship e a Premier League ficou evidente para o Burnley, que virou saco de pancadas naquela temporada e voltou a ser rebaixado.


Em 2016/17, mais acostumado com a competitividade e dificuldade da competição, o Burnley tornou-se uma equipe mais estruturada e, sabendo das limitações óbvias, fez do Turf Moor seu principal aliado para se manter na elite do futebol inglês.


É por conta dessa mudança do Burnley - de um time "saco de pancada" para um adversário complicado - que o empate neste último domingo (12) está longe de ser um mau resultado.


Para se ter uma ideia, ao longo destas 25 rodadas, os Clarets perderam apenas três vezes em seu domínio, além de uma vitória sobre o Liverpool em pleno Anfield e um importante empate por 0 a 0 diante do United em Old Trafford.


O Jogo


Principal arma do Chelsea desde a implantação do 3-4-3, o contra-ataque puxado por Victor Moses terminou com a bela enfiada de bola para Pedro, que deslocou o goleiro e abriu o placar. 


Getty Images
Getty Images

Autor do único gol do Chelsea na partida, Pedro faz ótima temporada


Com a vantagem no marcador, seria o clássico jogo em que o Chelsea priorizaria o jogo defensivo até encontrar uma bola para matar o jogo. Numa belíssima cobrança de falta, no entanto, Brady deixou tudo igual.


A partir de então, Burnley e Chelsea tornou-se um jogo burocrático. O time da casa, feliz da vida com o empate, não se arriscou com tudo em busca dos três pontos, enquanto os Blues até pressionaram em busca do segundo gol, mas  perceberam que somar um ponto fora de casa não era nada ruim.



Após o apito final, muita celebração por parte da torcida mandante e a expressão de desgaste dos jogadores do Chelsea pelo esforço e dedicação durante os noventa minutos. 


Com a vitória do Liverpool, a vantagem sobre o Tottenham, vice-líder, são de dez pontos, mas, caso os Citizens vençam o Bournemouth fora de casa, nesta segunda-feira, a diferença pode cair para oito, o que ainda é excelente.


Penso que o empate conquistado contra a boa equipe do Burnley traz mais aspectos positivos que negativos. Primeiramente, é uma forma de manter cautela e passar uma mensagem ao torcedor que todo jogo será uma verdadeira batalha, independente do adversário.


Além disso, mais uma rodada se passou e o Chelsea, além de continuar na liderança e com uma boa margem de distância para os rivais, não deixou de somar ponto. Se o clube manter o bom retrospecto dentro de Stamford Bridge e conseguir somar pontos importantes fora de casa, o sonho pela taça da Premier League estará cada vez mais perto.


Não é momento de desânimo. Que o caminho das vitórias volte na próxima rodada diante do Swansea. C'mon, Blues!