Como seria o camisa 9 que o Botafogo precisa?

Que o Botafogo precisa de contratações para o setor ofensivo, todos sabemos. No entanto, contratar um atacante nos dias de hoje não é tarefa fácil. É preciso levar em conta o esquema tático - talvez o ponto mais forte e consistente do Botafogo atualmente. Por isso, Antônio Lopes e o setor de inteligência precisarão de muita calma, atenção e análise apurada para dar um tiro certo e trazer um jogador que se encaixe no perfil do time.


Atual titular do Glorioso, Roger vem sofrendo com a desconfiança e as críticas da torcida. É verdade que deixou a desejar em algumas partidas, mas é necessário levar em consideração o contexto geral; na Ponte Preta, onde marcou 22 vezes em 2016, o camisa 9 tinha uma estrutura de jogo que o favorecia, atuando em função de um atacante de referência. Além dele, Joel, Renan Gorne e Canales, outras opções do elenco, estão de saída. 


No Botafogo, ele encontrou uma situação diferente, em que suas características não se encaixam tão bem nas necessidades do plano de jogo de Jair Ventura. Atuando num 4-4-1-1, nosso Fogão precisa de um jogador veloz, com capacidade de sair da área para buscar jogo, cair pelos lados e dialogar com o meia - que joga à frente de uma linha de 4 no meio-campo. 


Satiro Sodré / SS Press / Botafogo
Satiro Sodré / SS Press / Botafogo

Atual camisa 9, Roger vem sofrendo com a desconfiança da torcida


Resumindo, o Glorioso precisa buscar um atacante finalizador que dê amplitude e profundidade ao nosso ataque, com alta capacidade de movimentação em velocidade. Como alguns podem ter dificuldade em entender como seria esse camisa 9, listarei abaixo alguns nomes que se encaixam no perfil. 


(Notem que nem todos são indicações, pois alguns nomes não são viáveis. A lista é apenas para exemplificar o tipo de jogador que precisamos)


1) William Pottker - Internacional


Pretendido pelo Botafogo na mesma época em que trouxemos Roger, pesou o fato da pedida dos empresários ter sido bem alta - cerca de R$ 8 milhões. O atacante se destacou na Ponte Preta justamente pela força física e explosão para vir de trás e com bom poder de finalização. 


2) Luciano - Corinthians/Leganés


Nome procurado pela diretoria recentemente, o jogador desandou a fazer gols pelo clube paulista e logo se transferiu para a primeira divisão do campeonato espanhol. Por lá, não jogou tanto - mas teve destaque por marcar contra o Real Madrid. Alguns dizem que ele não voltou 100% depois da operação no joelho, mas ainda seria uma boa opção. 


3) Ignacio Scocco - Newell's Old Boys


Destacou-se no futebol brasileiro jogando pelo Internacional, inclusive fazendo grande partida contra o Botafogo no Maracanã, em 2013. Podendo jogar também como um meia que vem de trás, o argentino tem habilidade e bom arremate. Pesa contra a sua idade, 32 anos, que pode ter diminuído seu poder de arrancada.


4) Diego Tardelli - Shandong Luneng


Um nome conhecido, ainda sobra bastante no futebol brasileiro. Apesar de ser uma possibilidade bem distante em termos financeiros, seria uma excelente contratação, fazendo o Botafogo subir de patamar. Utilizando a verba salarial de todos os jogadores que estão de saída e com um bom projeto, poderíamos tentar seduzí-lo. Encaixaria como uma luva. 


5) Marco Rúben - Rosário Central


Destaque no time-sensação da Libertadores do ano passado, o atacante tem boa chegada na frente e é um exímio finalizador. Em qualquer lista de destaques sul-americanos, é impossível deixá-lo de fora - assim como Gustavo Bou, do Racing, outro nome muito bem cotado para nossa equipe. 


A partir dessa pequena lista de exemplos, é possível abrir uma gama de opções - desde as mais caras até as mais econômicas, buscando em divisões inferiores do futebol brasileiro. O importante é frisar que há um perfil traçado e precisamos segui-lo para que o atacante tenha êxito em sua passagem pelo Glorioso.