Portuguesa 1-4 Botafogo: a primeira vez a gente nunca esquece

Desde que Jair Ventura assumiu, o Botafogo se tornou um time letal, mas de poucos gols. Sempre vencendo na conta do chá, o Alvinegro jogava fechadinho na defesa e explorava os vacilos dos adversários para matar as partidas. Foi assim também na Libertadores - derrotando Colo-Colo, Olimpia e Estudiantes pela vantagem mínima de gols. 


O triunfo sobre a Portuguesa por 4 a 1 marca a primeira vez que o Glorioso, sob o comando de Jair, fez quatro gols na mesma partida. Pode-se dizer também, porque não, que foi a nossa primeira goleada com o treinador - já que a maior vitória havia sido um 3 a 0 sobre o Sport, resultado que muitas pessoas não consideram como tal. 


Embora não tenha sido uma partida de encher os olhos, principalmente na primeira etapa, a partida serviu novamente para dar ritmo aos reservas e melhorar o entrosamento dos titulares que estiveram em campo. Com uma quantidade maior de jogos, já fica mais fácil ter uma opinião sólida sobre atletas que vêm atuando menos e/ou não são titulares. 


Vitor Silva/SSPress/Botafogo
Vitor Silva/SSPress/Botafogo

Bruno Silva fez dois gols e foi o melhor em campo


Para fechar essa sonolenta e melancólica Taça Rio - e, também, a fase regular do Carioca - enfrentaremos o Resende, no Estádio Nilton Santos. A diretoria do Botafogo mandou bem demais e fez diversas promoções: além de reduzir o preço dos ingressos, liberou vantagens aos sócios-torcedores, como cortesias para até 5 mulheres ou jovens de até 16 anos. 


Depois, vem o mata-mata. O Glorioso deve confirmar sua vaga nas semifinais do turno - além de vaga nas também semifinais do Estadual pela classificação geral. Eu sei, não faz sentido algum, mas esse é o regulamento com o qual a querida FERJ nos brindou esse ano. Aguardemos pelas surpresas de 2018. 


O que importa de fato é que o grupo está encorpando e se preparando para a volta da Libertadores no próximo dia 13, contra o atual campeão da competição, o Atlético Nacional. Vamos precisar jogar no limite e com aquele clima de decisão com o qual temos encarado todos os desafios da Copa. Vamos em frente!


Notas


Gatito: 6
O lance dividiu opiniões, mas acho que poderia ter espalmado melhor a bola no lance do gol. Os rebotes, inclusive, são seu pior defeito desde os tempos de Figueirense. No restante do jogo, foi mero espectador.


Marcinho: 5
Dessa vez, não fez um bom jogo. Deixou vários espaços atrás, principalmente no primeiro tempo, e não aproveitou as chances que teve no ataque. 


Renan Fonseca: 6
Dessa vez, não comprometeu. Ainda assim, algumas coisas são constrangedoras - como o drible que sofreu no primeiro tempo e a falta-atropelamento que cometeu no segundo. Não pode enfrentar times melhores que a fraquíssima Portuguesa.


Emerson Silva: 6,5
Jogou o básico e também não comprometeu. Tem melhorado a saída de bola.


Gilson: 7,5
Deixou diversos espaços na defesa e falta de qualidade em alguns lances, mas preciso ser justo na nota: deu duas assistências e fez um gol. Independente da qualidade, foi decisivo. 


Airton: 6,5
Em ritmo de treino, evitou se desgastar muito e não teve o brilhantismo de sempre. Ainda assim, distribuiu dribles e passes, além de sofrer várias faltas.


Bruno Silva: 8
Foi quem mais levou o jogo a sério. Esteve em todas as partes do campo, marcou, ajudou na armação e fez dois gols: um de puro oportunismo, outro em um chutaço de fora da área. Sua regularidade é excelente. 


Fernandes: 6,5
Não esteve ótimo como na última partida, mas foi bem no geral. Lúcido em grande parte dos lances. Jair ganhou mais uma boa opção.


Camilo: 4
O pior em campo. Não consegue reencontrar seu bom futebol. Até correu, mas errou tudo o que tentou. Tem gente no banco pedindo passagem.


Joel: 4,5
Jogador muito fraco. Intimidade zero com a bola. Chega a ser irritante vê-lo jogar. Perdeu a bola no lance do gol da Lusa e protagonizou jogadas grotescas, como uma bicuda de canhota totalmente sem direção. Contratação inexplicável.


Roger: 7
Não é o atacante dos sonhos, mas vem sendo bastante útil. Conforme melhora sua forma física, também evolui tecnicamente. Vem saindo bem da área para participar das jogadas. Fez belo gol de centroavante, de cabeça. 


Montillo: 7
Sua melhor atuação pelo Botafogo. Entrou no intervalo querendo jogo. Boa movimentação, boas tabelas e ótima assistência para o gol de Gilson. Merecia marcar o seu. 


Guilherme: 6
Pouco o percebi em campo e, sinceramente, foi melhor assim.


Sassá: 6,5
Entrou com a movimentação de sempre e quase deixou o seu. Poderia ter sido testado aberto, no lugar de Joel. 


Jair Ventura: 7
Seu time goleou pela primeira vez e criou diversas outras chances. O adversário era fraco, é verdade, mas dá para notar a evolução do padrão de jogo. Continua pecando em seu único erro mais grave: não dar chances para Yuri e Gorne, preteridos por Joel e Guilherme.


| Seja sócio-torcedor Sou Botafogo


| Siga-me no Twitter: @pedrochilingue