Pokal: Dortmund vence Arlen sem sustos e Aubameyang assume postura de líder

A primeira partida oficial do Borussia Dortmund após a derrota na Supercopa não foi exatamente uma prova de fogo. Contra o Rielasingen-Arlen, uma atuação segura, sem sustos e goleada de 4 a 0 conquistada com a facilidade que era esperada.


Sem muito esforço, o Dortmund fez o mínimo que podíamos exigir de quem enfrenta uma equipe da sexta divisão. Dominante do começo ao fim, marcou quatro gols quando quis e só não fez mais porque jogou com o freio de mão puxado. Dessa forma, o time dá sequência à evolução que tinha mostrado contra o Bayern de Munique.


Divulgação/Borussia Dortmund
Divulgação/Borussia Dortmund

Bartra abriu o placar com assistência de Beste - lateral deixou excelente impressão


A lista de desfalques foi grande, com Bosz não podendo contar com Toprak, Schmelzer, Pulisic e ainda sem Götze. Cumprindo punição por indisciplina, Dembélé também não viajou par Freiburg. No time titular uma oportunidade de ouro para Jan-Niklas Beste, estreante na lateral-esquerda. Philipp e Schürrle entraram no ataque.


O ritmo do Borussia Dortmund foi mais baixo do que em muitos amistosos da pré-temporada. Um gol cedo marcado por Bartra ajudou a tranquilizar a equipe, que pressionou menos do que o de costume e também atacou com menor intensidade. Contra um adversário de nível muito inferior, o Dortmund não fez questão de sufocar.


De bom no Borussia, principalmente a atuação de Mahmoud Dahoud. Ditou o ritmo do meio-campo e contribuiu para uma transição de qualidade contra um adversário fechado. Beste também fez grande partida na lateral-esquerda e, apesar dos 18 anos, deu sinais de que pode ser alternativa para o elenco principal – muito mais sensato do que o improviso de Zagadou.


Divulgação/Borussia Dortmund
Divulgação/Borussia Dortmund

Setor ofensivo ainda precisa de ajustes, mas tem melhorado


Os problemas da pré-temporada se repetiram nas atuações individuais de jogadores que decepcionam partida após partida. Piszczek muito distante da boa forma do passado, Castro sempre em um ritmo abaixo do restante da equipe e Schürrle sem a menor condição de contribuir para o ataque.


Aubameyang mostrou o velho oportunismo e marcou os outros três gols da goleada. Muito além dos gols marcados, parece assumir cada vez mais a postura de líder em campo, e isso é essencial. Ultrapassou Chapuisat e se tornou o maior artilheiro da história do Borussia Dortmund.


No fim das contas, ainda está por vir um teste definitivo. Depois de uma Supercopa atípica e uma primeira fase de Pokal café com leite, o duelo contra o Wolfsburg na próxima semana deve ser a grande prova. 



Curta a página do blog Muralha Amarela no Facebook


Siga @muralhaamarela e @wpaneque no Twitter