No retorno de Reus, Dortmund fez o simples para vencer o Frankfurt

O Borussia Dortmund fez um jogo seguro, sem muito brilho, mas o suficiente para garantir a vitória por 3 a 1 sobre o Frankfurt, que, por sinal, não é nem sombra do que foi no 1º turno. Com a derrota no Westfalenstadion, o time chega a dez partidas sem saber o que é vitória.


Entre datas de Champions League, tinha tudo para ser um jogo pouco atrativo. Porém, o atentado do meio de semana fez com que todos voltassem seus olhos para Dortmund. Entre tributos a Bartra, protestos contra a homofobia e apoio aos jogadores, a ressureição de Sahin e Reus ficou como destaque.


Divulgação/Borussia Dortmund
Divulgação/Borussia Dortmund

Gol de Sokratis foi o melhor momento da partida


Recuperado de lesão, Reus acabou com a espera e também começou como titular. O gol de letra logo aos 3 minutos de jogo ajudou a tranquilizar a torcida. Não ficou em campo durante os 90 minutos porque não era necessário, mas também parece pronto e se soma às boas novas para o duelo de volta contra o Monaco.


Sokratis fez o gol que talvez retrate o estado emocional do time. Zagueiro bruto do elenco, foi quem mais chorou no meio de semana e jogou com mais liberdade. Foi ao ataque e acertou um chute cruzado absurdo. Gol merecido e dedicado a Bartra pelo companheiro de zaga.


Sahin entrou no segundo tempo contra o Monaco, melhorou o time e ganhou uma nova oportunidade como titular. Dentre as opções disponíveis, foi quem melhor serviu ao lado de Weigl. Bem fisicamente, é uma boa novidade pra reta final da temporada.


Dembélé entrou no segundo tempo e aproveitou um lançamento excelente de Sahin para dar o terceiro gol a Aubameyang. É outro que vem de dois jogos ruins e tem condições de ser mais decisivo, como foi nesses minutos finais contra o Frankfurt.


Divulgação/Borussia Dortmund
Divulgação/Borussia Dortmund

Aubameyang e Sahin foram importantes na conquista dos três pontos


Cito tanto a Champions League porque nessa partida da Bundesliga o foco dividido foi inevitável. E por isso tiramos algumas conclusões: Bender não pode seguir como titular. Mal tecnica e fisicamente, arrisco dizer que traz muito menos segurança do que Ginter. É preciso manter o 4-1-4-1, com Piszczek na lateral, Weigl, Kagawa e Sahin no meio-campo, Reus e Dembélé abertos.


O duelo do Borussia segue sendo contra o Hoffenheim. Com 10 pontos de vantagem sobre o 5º colocado, estamos seguros contra quem vem de trás, mas a batalha pela 3ª posição deve ser ponto a ponto até o confronto direto, que acontece na penúltima rodada.


Marc Bartra recebeu alta neste fim de semana. Depois de três dias internado, Bartra foi liberado pelos médicos para deixar o hospital. O zagueiro estava sob observação após cirurgia realizada no braço direito para retirada de fragmentos de vidro e metal. A previsão inicial é de que o espanhol desfalque o time por quatro semanas.



Curta a página do blog Muralha Amarela no Facebook


Siga @muralhaamarela e @wpaneque no Twitter