Um mês sem Reus: a grande chance de Schürrle e Pulisic

No setor ofensivo do Borussia Dortmund existe uma disputa em particular que tem chamado a atenção nos últimos meses. Com o trio Dembélé, Reus e Aubameyang consolidado, a reserva imediata desses jogadores não tem um único dono e essa vaga está em aberto.


Menos por opção de Tuchel e mais pelo rendimento irregular de cada uma das opções, o quarto elemento tem variado bastante. Em momentos da temporada foi Schürrle, depois Pulisic, e até Emre Mor ganhou seus minutos. Com a lesão de Reus, a disputa se acirra novamente.


Isso porque o Borussia deve ficar sem Reus por, pelo menos, um mês. A lesão muscular confirmada pelo clube impedirá que o meia volte a jogar antes da Data FIFA, ou seja, se tudo der muito certo, retorna contra o Schalke, em 1º de abril, mas mais provavelmente contra o Bayern, em 8 de abril. Até lá o time precisa se virar.


Divulgação/Borussia Dortmund
Divulgação/Borussia Dortmund

Reus se lesionou de novo em seu melhor momento da temporada; até aí, nenhuma novidade


A julgar pelo futebol apresentado contra o Leverkusen, parece que a ausência será menos sentida do que o temido por muitos. Pulisic entrou bem, deu fluidez ao ataque e não ficou devendo nada ao camisa 11. Mas será ele o substituto?


O Dortmund tem logo no meio de semana confronto difícil contra o Benfica pela Champions, em que a vitória é imprescindível. Depois, outro delicado confronto contra o Hertha, em Berlim. Melhor mandante do campeonato, o time tomou só cinco gols em casa e o Werder Bremen (!) foi o único capaz de vencer na capital.


Antes da pausa internacional, o Borussia Dortmund tem pela frente ainda o Lotte, em jogo adiado da Pokal, e o Ingolstadt, jogos mais fáceis e quando Tuchel deve ousar um pouco mais. Principalmente contra o Lotte, após dois confrontos que exigirão muito do Borussia, o time deve ter muitas rotações.


Getty Images
Getty Images

Contratado com status de estrela, chegou a hora de Schürrle mostrar a que veio


Essa é a chance de um reserva dar um passo adiante no campeonato interno pelo posto de substituto imediato. Schürrle custou caro e ainda não provou seu valor. Quem sabe essa é a oportunidade que faltava ao camisa 21? Ou então Pulisic, que tem entrado bem, tem a confiança de Tuchel e no momento acredito que seja a primeira opção.


Qualquer um dos dois que for bem contra Benfica e/ou Hertha Berlim sairá por cima. No entanto, a situação de Schürrle é quase um tudo ou nada: na ausência de Reus, tem a chance de cumprir com as expectivas e mostrar que veio para ser a alternativa à estrela. Se tiver novas atuações ruins, pode virar 5ª opção para o ataque.



Curta a página do blog Muralha Amarela no Facebook


Siga @muralhaamarela e @wpaneque no Twitter