Lesão de Reus ajudou BVB a se reinventar em goleada

Uma notícia ruim mudou o jogo a favor do Borussia Dortmund. Tudo bem que antes da lesão de Reus o Borussia já vencia o Leverkusen, mas depois da saída do camisa 11 o time massacrou o adversário deste sábado.


A vitória por 6 a 2 não apaga todos os erros cometidos, da mesma forma que não torna o Dortmund, do dia para a noite, o melhor de todos os tempos. No entanto, serve como prova de que Tuchel sabe o que está fazendo e aposta suas fichas com consciência. Quem pediu a cabeça do técnico na emoção dos tropeços precisa engolir o que disse.


Divulgação/Borussia Dortmund
Divulgação/Borussia Dortmund

Dembélé se tornou o jogador mais importante do time


Durm enfim me convenceu. Depois de uma sequência sólida e boas participações na defesa e na transição, preciso dar o braço a torcer e admitir que hoje deve ser parte do time titular. Teve duelo difícil contra o bom Wendell e passou no teste, depois de já ter parado Grifo na última semana.


Bartra é outro que subiu de rendimento em 2017. Depois de um início turbulento e uma pressão compreensível para se livrar da sombra de Hummels, fez outra atuação para provar que os 8 milhões gastos com ele foram pouco. Tem sido o melhor da defesa.


Mas o que mudou a partida mesmo foi a lesão de Marco Reus. Descartado para o duelo contra o Benfica, deve ser desfalque por mais tempo por conta de lesão muscular. Arrisco dizer que vai perder pelo menos um mês.


Com a saída de Reus e a entrada de Pulisic o Dortmund ficou mais leve, imprevisível e encaixotou o Leverkusen. A sinergia com Dembélé e a troca de posições foram essenciais para a realização do placar largo. Talvez Reus não seja exatamente um problema, mas ficou evidente que Pulisic acrescentou muito ao time.



Curta a página do blog Muralha Amarela no Facebook


Siga @muralhaamarela e @wpaneque no Twitter



O Dortmund conseguiu construir a vitória com duas empurradas de Aubameyang, entradas inteligentes de Pulisic e Guerreiro na área. Além de um pênalti bem marcado em Schürrle e um gol com a marca de Dembélé. Dos gols sofridos, o de Volland teve Sokratis (que fez um jogo estranho) marcando mal, e o de Wendell foi uma cobrança de falta indefensável. 


Se esse for o ritmo do confronto contra o Benfica, a classificação deve vir com relativa tranquilidade. A não ser que Ederson tire outro dia para fazer milagres.