Boca 3-0 Olimpo: estreia com baile na Superliga Argentina

Neste fim-de-semana, começou o 'novo' campeonato argentino. Novo, pois agora ganhou outro nome e outra roupagem, por assim dizer. A Superliga tem novo acordo de TV, nova distribuição de renda para os clubes e, certamente, um futuro promissor.


Dito isso, o Boca não poderia ter começado melhor. O atual campeão recebeu o Olimpo, em La Bombonera, e dominou o adversário do começo ao fim. Domínio total do primeiro ao último minuto, em que o 3 a 0 poderia ter sido um resultado até mais elástico.


Com a presença de Tevez na arquibancada e sob a batuta de Gago - que esbanjou categoria - e a dinâmica de Pablo Pérez, o meio campo recuperava bolas com rapidez e acertava passes preciso em profundidade. E foi assim, em lançamento 'riquelmeano' de Gago, que Pavó cruzou da direita e o goleador Benedetto abriu o placar. Uma jogada como nos velhos tempos, quando Riquelme, Schelotto e Palermo dominavam o continente.


Também em jogada pela direita, Pablo Pérez fez o segundo ainda na primeira etapa. O jogador, que vinha sendo muitas vezes criticado mas é visto por Sampaoli como opção para a Seleccón, fez partida brilhante e o gol serviu para coroá-lo.


Prensa Boca Juniors
Prensa Boca Juniors

Abraço de gol: o Boca brilhou na estreia da Superliga


No segundo tempo, o ritmo diminui, mas não o domínio. Por preciosidade, o Boca deixou de golear. E em jogada individual, Pipa sofreu o pênalti que ele mesmo bateu e guardou. Três a zero com doblete do camisa 9, que começa o campeonato como terminou o último: sendo artilheiro.


Após uma pré-temporada onde o Boca não perdeu, uma estreia com direito a baile. Mantendo este nível podemos aspirar grandes coisas.


Abaixo os gols da vitória xeneize.