Vencemos a primeira batalha: o Boca seguirá em La Bombonera

Daniel Angelici nunca escondeu seu desejo de construir um novo estádio para o Boca. Sua ideia faraônica era desenbolsar 300 milhões de dólares para 80 mil pessoas terem acesso a um shopping com gramado. Sócios e torcedores sempre foram, em grande maioria, contra. E mesmo com um terreno já comprado pelo clube, o Tano entendeu que precisava dar um passo para tras.


Em um jantar ao lado do mítico estádio, onde a parrilla se destaca e sente-se por todos os lados o aroma do chorizo e da morcilla, 14 dos 15 grupos políticos ligados oficialmente ao clube sentaram-se para falar sobre o assunto. Novo estádio ou ampliação?


Se a construção de um novo estádio é um tema demasiado complicado, a ampliação também não é fácil. Para se concretizar, é preciso comprar duas meias quadras que ficam atrás dos palcos vip. São cerca de 180 vizinhos. E obviamente nem todos os querem vender suas casas.


O projeto que parecia mais viável, La Bombonera 360, foi apresentado por Jorge Amor Ameal, que perdeu as eleições passadas e, por isso, não se fez presente nessa reunião. Foi o único grupo que faltou. Com isso, analisou-se o projeto do arquiteto esloveno Tomaz Camarnik de 32 anos. Radicado em Ljublijana, Camarnik é um apaixonado por La Bombonera. Isso porquê o arquiteto do projeto original do estádio também é um esloveno, o compatriota Vikor Sulcic, o gênio que conseguiu construir um estádio com essa atmosfera.


'La Bombonera é um monumento. Temos que olhá-la mais pelo lado artístico, como uma escultura do que propriamente como um projeto arquitetônico. Seria uma estupidez perder toda sua mística para um estádio novo. É algo único. Existe só uma Muralha da China, uma Torre Eiffel, um Coliseu Romano e existe apenas uma Bombonera', disse.


A ideia do arquiteto é construir uma arquibancada por cima destes palcos vips, acrescentando ainda uma área de restaurantes e entretenimento. Dessa forma, o estádio ganharia 17 mil lugares sentados, mas sem perder suas características. Além disso, seria uma plataforma que não envolveria a compra de terrenos vizinhos, o que facilitaria a construção.


Divulgação Oficial
Divulgação Oficial

Imagem ilustrativa do projeto de Camarnik


Não podemos nos esquecer que La Bombonera é comercialmente atrativa. Todos os dias dezenas de turistas fazem tour no estádio. Qualquer fanático por futebol quer ver com seus próprios olhos. O estádio e o bairro fazem parte do tour oficial de Buenos Aires. Sejamos sinceros, por qual motivo um europeu visitaria um estádio que tem as mesmas características do seu? Eles querem ver La Bombonera pelo que ela é e pelo que ela representa.


Ainda assim, este é apenas mais um dos tantos projetos já apresentados. Mesmo sem decisões certeiras, a notícia boa é que a batalha parece vencida. Seguiremos em La Bombonera.