Centurión está certo: Boca e São Paulo que negociem

Era uma entrevista comum até que Centurión disse que se não continuasse no Boca iria deixar o futebol. Isso causou um alvoroço nos dois países e, também, nos clubes envolvidos.


No Boca, o novo camisa 10 foi destaque num time campeão. Foi acolhido e jogou, possivelmente, o melhor futebol de sua carreira. Parece até que Centu nasceu para jogar de azul y oro. Já no São Paulo, nunca pagou o investimento feito quando o tricolor paulista foi buscá-lo no Racing, onde também acabara de ser campeão nacional.


Prensa Boca Juniors
Prensa Boca Juniors

Centurión no Boca: bom pra todo mundo


A matemática é simples: o São Paulo precisa recuperar pelo menos uma parte deste investimento. O clube não quer contar com o jogador, mas também se mostra duro nas negociações. No Boca, técnico e presidente querem que ele siga, mas sabem que para isso acontecer é preciso pagar. O problema é o valor alto que o São Paulo pede: 6 milhões de dólares.


Mas a verdade é que Ricky está certo. Passamos a vida pedindo jogadores que se identifiquem com o clube, em vez de pensar apenas no dinheiro. E é isso que Centurión está fazendo quando diz que, se não ficar no Boca, vai parar. O jogador poderia almejar somente a plata. Ficar no Brasil, ir para a China ou para o raio que o parta. Existe muitos clubes que pagariam mais que o Boca. Mas a verdade é que o wachiturro está fazendo certo, pensando em títulos, pensando em futebol.


Boca e São Paulo que se acertem. Um que aceite negociar e o outro que aceite pagar.