Boca 3-0 Independiente: com uma mão na taça

'LOS DE ABAJO SON GALLINAS, NO NOS PUEDEN ALCANZAR.'


Foi uma bela resposta. Para a torcida, para os 'antis' e principalmente para a imprensa. Após algumas partidas de baixo nível, já davam o Boca como morto. Alguns garantindo que os de baixo nos passariam. Acontece que os de baixo são gallinas.


É verdade que estivemos 11 pontos à frente dos rivais de Nuñez e chegamos a esta fecha somente com 1 ponto de vantagem. Sim, foi difícil digerir a derrota pra eles jogando em casa e o empate sofrido, de pênalti duvidoso, aos 374 (?) minutos do segundo tempo contra o Huracán. Havia pressão e ninguém sabia como seria a resposta dos jogadores.


Prensa Boca Juniors
Prensa Boca Juniors

Cumbia xeneize: Centurión e Benedetto comemoram o 3º gol


Em primeiro lugar, o DT largou o 4-4-2 dos últimos jogos e voltou para o 4-3-3, esquema que fez o Boca líder e absoluto goleador do torneio. E desde o princípio os jogadores se mostraram mais à vontade. Principalmente Pavón, com liberdade para criar jogadas pelas bandas. Grande jogo de Kichan, que fez jogada maravilhosa para o gol de Benítez, novidade entre os títulares e que fez ótima atuação.


Além disso, preciso dedicar algumas linhas para falar de Wilmar Barrios. Antecipa todas. Tem 18 pulmões e 45 pernas. Ganha todas, chega em todas. Traba con la cabeza. Impossível entender como passou a maior parte do campeonato como suplente de Bentancur. Ao seu lado, até Pablo Pérez melhorou, já que vinha muito mal na segunda metade do campeonato.


E lá na frente, o matador. Pipa Benedetto meteu um doblete e chegou aos 18 gols no campeoanto. Goleador isolado. O melhor camisa 9 xeneize desde que se foi Palermo. De seu pé sai as vitórias do Boca.


Faltam 3 rodadas e tudo pode acontecer. Teremos dois jogos difíceis como visitante. Mas jogando assim e com 4 pontos de vantagem, pode-se dizer: estamos com uma mão na taça.