Vélez 1-3 Boca: jogando como campeão

Após as confirmadas vitórias de Newell's Old Boys, Estudiantes, San Lorenzo e River, o Boca entrou pressionado no encharcado relvado do José Amalfitani. Além das dificuldades psicológicas de ver seus rivais encostarem na tabela, as fortes chuvas que devastaram as canchas argentinas neste final de semana poderiam atrapalhar o jogo da equipe. Mas nada disso influenciou, e o Boca venceu com domínio absoluto.


Aos 8 minutos de jogo, a equipe já havia criado três chances claras. Duas ótimas defesas do arquero rival e uma bomba de Pavón no travessão. Com Pablo Pérez sendo senhor absoluto do meio campo e ditando todos os ritmos, o trio de ataque brilhou.


E foi em jogada de Centurión, com assistência de Pavón, que Benedetto guardou a bola na caixa. O 1 a 0 era justo e colocava nosso camisa 9 no topo da tabla de goleadores.


Prensa Boca Juniors
Prensa Boca Juniors

Com a ausência de Gago, Pérez foi o capitão da equipe


A defesa não teve problemas. Wilmar Barrios recuperando muitos bolas, Bentancur cobrindo os espaços e o capitão "PP8" jogando com maestria. E assim seguiu na segunda parte. Até que em boa jogada coletiva, Peruzzi marcou o segundo gol, dando absoluta tranquilidade.


No meio da semana, tivemos uma polêmica com Riquelme dizendo que o Boca não é um time sério. E Ele até tem razão. Apesar de ser uma boa equipe, por vezes falta a seriedade e maturidade para definir jogos. E mesmo com um jogador a mais, deixou o Vélez achar um golzinho que poderia nos complicar. Por sorte, logo depois Pavón marcou seu doblete e acabou com qualquer esperança fortinera.


O Boca dominou seu rival e se manteve na liderança com 5 pontos de vantagem sobre o segundo. Ainda há muitos pontos por disputar e nada está ganho. Mas podemos dizer que, pelo menos neste domingo cinzento, o Boca jogou como campeão.