Benfica x Vitória de Guimarães na final da Taça de Portugal: lembranças para Rui Vitória

Foram definidos nesta semana os finalistas da edição 2016/2017 da Taça de Portugal, o segundo certame mais importante do futebol lusitano. Em eliminatórias emocionantes, Benfica e Vitória de Guimarães carimbaram a passagem para o Estádio Nacional do Jamor ao despacharem Estoril e Chaves, respectivamente.


A final do próximo dia 28 de maio remete à decisão de 2013, vencida pelo Vitória de Guimarães por 2 a 1. Àquela época, os benfiquistas saíram na frente com o argentino Nico Gaitán no primeiro tempo, mas viram os vitorianos serem campeões com gols do argelino Soudani e do português Ricardo Pereira na reta final da partida. A festa no Jamor foi preta e branca.


O elemento em comum daquele jogo de quatro anos atrás e do que está para acontecer se chama Rui Vitória. O atual técnico do Benfica era o treinador do Vitória de Guimarães no título mais importante dos 94 anos de história do clube do norte de Portugal. Rui garante que não esquece o passado, mas que agora só pensa em vencer. No futebol, o passado e o presente costumam se encontrar. Faz parte do jogo.


Divulgação/Vitória SC
Divulgação/Vitória SC

Rui Vitória conquistou a Taça de Portugal de 2013 pelo Vitória de Guimarães, no Jamor, contra o próprio Benfica


Rui Carlos Pinho da Vitória está entre os maiores profissionais da história do Vitória Sport Clube. Credenciado por uma boa temporada no Paços de Ferreira, onde foi sétimo colocado no campeonato nacional e vice-campeão da Taça da Liga em 2010/2011, ele chegou a Guimarães em agosto de 2011.


Encontrou uma terra arrasada. O time da cidade vinha de cinco derrotas seguidas na Liga e se encontrava na zona de rebaixamento. Além de pressionado por resultados imediatos (torcedores chegavam a invadir os treinos para tirar satisfação com os jogadores, nada muito diferente do que vemos no Brasil), o clube estava mergulhado em dívidas.


O técnico implantou na Cidade Berço sua filosofia de valorização das categorias de base, aprendida no período em que treinou os juniores do Benfica, entre 2004 e 2006. Apostou em jóias do time B e em jovens jogadores de divisões inferiores. A típica estratégia de garimpar o "bom e barato". Mesmo com os recursos escassos, os frutos não demoraram a ser colhidos, com o título da Taça de Portugal de 2013 e duas classificações à Liga Europa via campeonato nacional, em 2011/2012 e 2014/2015.


A feliz união entre os Vitórias durou quatro anos. E o legado deixado por Rui resiste no clube vimaranense. Os alvinegros lucram com revelações de atletas das mais variadas modalidades e hoje são financeiramente saudáveis.


Getty Images
Getty Images

Rui Vitória treinou o Vitória de Guimarães entre 2011 e 2015


"O Vitória está bem, e parte dessa responsabilidade é de Rui Vitória", disse o meio-campista João Alves, que jogou nos Conquistadores até 2012, em recente entrevista ao jornal português Diário de Notícias.


Também ao DN, o ex-presidente do clube minhoto, Emílio Macedo, reforçou: "Foi o excelente trabalho em Guimarães que o projetou para o Benfica". Na prática, foi isso mesmo. "Ele passou por uma fase complicada, com pequenos orçamentos, mas sempre levou o barco a um porto seguro".


Em 2015, com a inesperada ida de Jorge Jesus ao arquirrival Sporting, Rui Vitória foi chamado para voltar ao Benfica. Agora, com um objetivo mais difícil: comandar o elenco principal. Desde então, o natural de Vila Franca de Xira vive o maior desafio de sua carreira.


Superou a desconfiança inicial dos adeptos encarnados e, sem abrir mão da sua maneira de tratar e ver o futebol, já conquistou uma Liga (com 88 pontos somados, recorde histórico do certame) e uma Taça da Liga em Lisboa. Agora, Rui Vitória tem a oportunidade de conquistar o único título nacional à frente do SLB que lhe falta: a Taça de Portugal. Esta chance virá justamente contra o emblema que lhe deu projeção nacional - e pelo qual conquistou a mesma competição. Coisas do futebol...


Com RV no comando técnico, o Sport Lisboa e Benfica segue garimpando os mercados da América do Sul e do Leste Europeu, mas passou a dar mais atenção às categorias de base.


Nos últimos meses, Renato Sanches e Gonçalo Guedes, juntos, renderam 65 milhões de euros às Águias. O primeiro foi vendido ao Bayern de Munique por €35 milhões, enquanto o PSG desembolsou €30 milhões pelo segundo.


Getty Images
Getty Images

Rui Vitória bancou a titularidade de Renato Sanches, à época com 18 anos de idade, no Benfica


Hoje figuram entre as promessas do clube nomes como Nélson Semedo (23 anos), Diogo Gonçalves (20), Ruben Dias (19), José Gata (16) e Tiago Araújo (16). Nélson já é figura carimbada do time principal. Diogo e Ruben são peças importantes do time B. José e Tiago assinaram contratos com o escalão profissional esta semana.


Como foram as semifinais da Taça de Portugal


Com o pensamento na reta final da I Liga, os Encarnados entraram em campo com time misto e suaram para empatar em 3 a 3 com o Estoril no Estádio da Luz. Os gols do Glorioso foram anotados por Carrillo, Zivkovic e Jonas - utilizar o brasileiro na partida não estava nos planos do técnico Rui Vitória, mas as condições do jogo o obrigaram a colocar o camisa 10 em campo; e o atacante correspondeu.


Embora o placar pareça assustador, os benfiquistas conquistaram a classificação graças à vitória de 2 a 1 na Amoreira. Vale sublinhar: o Estoril, desde o retorno à elite em 2012/2013, coleciona boas campanhas, com duas classificações à Europa League via liga nacional, e dá trabalho aos grandes.


Isabel Cutileiro/SL Benfica
Isabel Cutileiro/SL Benfica

Benfica e Estoril empataram em 3 a 3 no Estádio da Luz. Resultado suficiente para o SLB carimbar o passaporte para o Jamor


Do outro lado, o Vitória SC espantou a zebra chamada Chaves. O time da casa vencia por 3 a 0 e estava protagonizando uma reviravolta emocionante, pois havia perdido no Dom Afonso Henriques por 2 a 0. Mas o gol de Marega e a regra que coloca o número de tentos marcados fora de casa como primeiro critério de desempate salvaram os vitorianos.


O Chaves é a grande sensação do futebol português nesta temporada. O atual vice-campeão da segunda divisão faz campanha segura na Liga: está em oitavo com 38 pontos, 21 a mais que Nacional da Ilha da Madeira e Tondela, os integrantes da zona de rebaixamento. Na Taça de Portugal, os Transmontanos despacharam Porto e Sporting.