Empate contra o Porto frusta um Benfica que jogou para ser campeão

Aparentemente, a parada para a Data Fifa fez bem aos Encarnados. Ou meu pedido na estreia deste sagrado espaço atravessou o Oceano Atlântico. A performance do Benfica no clássico contra o Porto, especialmente a do primeiro tempo, pode ser apontada como a melhor do time na temporada 2016/2017, embora o empate no final em 1 a 1 não tenha sido o resultado ideal.


Os donos da Luz largaram na frente graças ao aniversariante do dia. Jonas, agora com 33 anos, sofreu pênalti indiscutível de Felipe, chamou a responsabilidade e converteu a penalidade máxima em um grande presente para toda a nação benfiquista. Lá se vão 78 gols e 22 assistências em 104 partidas!


Os comandados de Rui Vitória não se acomodaram com o resultado favorável, tampouco fecharam a casinha. Praticamente não deixaram o time azul e branco jogar.


Quando exigido, Ederson correspondeu em excelente falta cobrada por Brahimi. Os Encarnados responderam à altura quando Luisão subiu mais que a defesa adversária e cabeceou por cima, próximo à meta.


Isabel Cutileiro/SL Benfica
Isabel Cutileiro/SL Benfica

Jonas ao serviço do Benfica: 104 jogos, 78 gols, 22 assistências, 3 Ligas, 2 Taças da Liga e 1 Supertaça. E veio de graça. Obrigado, Valencia!


Entretanto, a bola pune quem não fica ligado o tempo todo. E o castigo foi pesado: um gol do vira-casaca Maxi Pereira logo no início da segunda etapa. Nem um gol de tiro de meta do goleiro Iker Casillas teria sido tão cruel, acredito.


Mas o Glorioso não se deixou abater pelo tento sofrido. Muito pelo contrário, retomou a blitz. Mitroglou, Jonas e Luisão pararam em Casillas.


Do outro lado, Ederson tirou o gol dos pés de Tiquinho Soares, em uma saída que, se fosse mal calculada, poderia resultar em pênalti - e num desastre difícil de consertar. Esta foi a melhor oportunidade do escrete da Cidade do Porto nos 45 minutos finais.


O time de Nuno Espírito Santo atuou abaixo do que pode apresentar e, após o apito final, deixou transparecer uma enorme satisfação com o placar. "A festa deles no fim do jogo resume tudo", pontuou Jonas à imprensa portuguesa ao receber o prêmio de Melhor em Campo.


Os 64.036 torcedores presentes no Estádio da Luz presenciaram uma disputa acirrada até mesmo nas arquibancadas, cântico a cântico, do jeito certo. Foi o maior público desta edição da I Liga - os benfiquistas já estão acostumados com esses recordes, devo dizer.


Divulgação/SL Benfica
Divulgação/Benfica

'Nós só queremos o Benfica campeão...'


E agora? Benfiquistas e portistas continuam separados por apenas um ponto: 65 para o SLB, 64 para o FCP. A sete rodadas do encerramento, faz sentido imaginar uma eventual definição do campeão no último instante do campeonato. Já deixem o cardiologista de sobreaviso. 


Por mais que a igualdade em 1 a 1 não tenha sido o resultado desejado, o Sport Lisboa e Benfica pode tirar proveito do bom desempenho apresentado - vale repetir, uma clara evolução em relação aos compromissos anteriores. A postura louvável, de quem quer ser campeão, deve servir como motivação e espelho para as sete finais restantes da I Liga. "Demos uma demonstração categórica daquilo que queremos", bem frisou Rui Vitória na coletiva pós-jogo.


A luta continua, e a Águia tem de voar rumo ao Tetra. Por todos os encarnados.