4 pontos críticos que Heynckes terá que consertar no Bayern

Após menos de uma semana de treinamento, Jupp Heynckes voltará a comandar o Bayern em uma partida depois de mais de quatro anos. E o adversário será o Freiburg, em plena Allianz Arena. O jogo é uma ótima oportunidade para Heynckes iniciar seu trabalho no seu retorno ao Bayern, tanto por ser um adversário mais fraco quanto por jogar em casa.


Aproveitando essa situação, listei quatro pontos importantes que Heynckes deverá consertar no jogo e no elenco bávaro até o início do segundo turno, após a pausa de janeiro, para que o time possa ter uma temporada ao menos satisfatória:


O Vestiário

O grande problema de Carlo Ancelotti no Bayern foi com o elenco do time. Discordâncias dos jogadores quanto às escalações, reclamações quanto aos treinamentos do italiano e até mesmo algumas supostas preferências de Ancelotti. Isso foi o principal motivo que resultou na queda de Ancelotti. Para resolver isso, Heynckes terá que acalmar os ânimos, apaziguar os egos de alguns jogadores, resolver as desavenças dentro do vestiário e dar mais chances a outros jogadores. Uma tarefa difícil, mas que Heynckes já provou ser capaz em 2013.


Getty Images
Getty Images

Heynckes terá muito apoio em seu retorno ao clube, mas também terá muitos problemas a resolver


A defesa

Desde a aposentadoria de Lahm e as recentes ausências de Neuer por lesão, a defesa nunca mais foi a mesma. Claro que a desorganização era visível desde a temporada passada, porém nesta temporada a desordem ficou ainda mais escancarada, com o time sofrendo mais de um gol em quatro partidas até o momento. Heynckes terá que organizar melhor a defesa e fazer com que alguns jogadores, como Boateng e Alaba retornem a boa forma dentro de campo.


O meio-campo ofensivo

Um dos grandes problemas ofensivos nesta temporada foi o isolamento de Lewandowski no ataque. Com Ribery e Robben começando a mostrar sinais da idade, Thiago ainda não retornando ao nível da temporada passada e Müller apenas começando a se recuperar da má fase, o time perdeu muito de seu poder ofensivo. Mesmo com Lewandowski marcando seus gols - muitos deles de pênalti - em praticamente todos os jogos, o ataque bávaro vem se provando fraco em algumas partidas, como contra Hoffenheim, Hertha Berlin e PSG. O meio-campo e os meias precisam voltar a render e a fornecer boas oportunidades para Lewandowksi. Afinal, o polonês já provou que não consegue resolver todos os problemas ofensivos sozinho.


Getty Images
Getty Images

No momento, Heynckes precisará de Müller e Thiago em alto nível


Thomas Müller

Que Müller foi mal utilizado na primeira temporada de Ancelotti todos concordamos, mas o alemão vem caindo de produção desde a última temporada de Guardiola no Bayern, tanto por clube quanto pela seleção alemã. A queda começou desde o fatídico pênalti desperdiçado na semifinal da Champions de 2016 contra o Atlético de Madrid. Heynckes já provou anteriormente que gosta do alemão e que sabe como utilizá-lo em campo: os 34 gols e 37 assistências em 100 jogos de Müller nas duas temporadas sob comando de Heynckes atestam isso. Resta a Heynckes ajudar a recuperar a confiança e a efetividade de Müller em frente ao gol, e a Müller também cabe se esforçar ainda mais em campo e voltar a ser o velho jogador que conhecemos. Sem Ancelotti como escudo, as desculpas para este elenco se esgotaram.