Qual o saldo final do Bayern no mercado?

Após uma longa e insana janela de transferências, finalmente o mercado europeu se encerrou. Se no início da janela, e até antes mesmo dela abrir, o Bayern já havia garantido algumas peças, o fim de mercado bávaro foi extremamente sonolento. Mas, afinal, será que a diretoria e comissão técnica bávara fizeram um bom trabalho neste período?


Em relação à temporada passada, foram cinco saídas de jogadores que já integravam a equipe, fora as partidas de Badstuber, Benatia e Galdino, que já estavam emprestados. Para repor, foram contratados quatro jogadores, sem contar Serge Gnabry já emprestado e três promoções de jogadores da equipe B ao time principal.


Os jogadores que saíram da equipe são: Douglas Costa, para a Juventus, Renato Sanches, emprestado ao Swansea, e Xabi Alonso, Tom Starke e Phillip Lahm, os três aposentados. Já nas chegadas tivemos: Corentin Tolisso (ex-Lyon), Niklas Süle e Sebastian Rudy (ambos ex-Hoffenheim) e James Rodríguez (ex-Real Madrid), contratado em um empréstimo de dois anos. Os recém-promovidos das categorias de base são Marco Friedl, Felix Götze, Christian Früchtl.


Getty Images
Getty Images

Tolisso e James Rodríguez foram as maiores transferências do Bayern nesta janela


Apesar do Bayern ter contratado ótimos nomes, eles vieram basicamente para repor a saída dos antigos jogadores, com uma melhor qualidade, é claro.


O jovem Früchtl vem para ser o terceiro goleiro do Bayern no lugar de Starke; Tolisso e Rudy substituirão Alonso, Sanches e Kimmich, que foi transferido para a posição de Phillip Lahm, enquanto James Rodríguez chegou na “vaga” de Douglas Costa, porém sem a mesma capacidade de preencher os lados do meio campo como o brasileiro. 


Até mesmo Gnabry, que seria uma boa opção para os lados de campo aliviando a pressão em cima dos já veteranos Robben e Ribery, foi emprestado antes mesmo de posar para a foto com a camisa do Bayern. Em toda movimentação do Bayern no mercado apenas Niklas Süle veio para aumentar o número de opções no setor em que atua, uma ótima contratação em uma posiçao já assombrada por lesões nos últimos anos.


Getty Images
Getty Images

As aposentadorias de Lahm, Starke e Alonso diminuiram a média de idade do elenco de maneira considerável


Enquanto isso, teremos apenas Kingsley Coman como opção para substituir e aliviar a carga da dupla Robbery, já rumando ao fim de carreira e propensos a lesões, e a tão cobrada opção para a reserva de Lewandoski continua sem nenhum ocupante.


Ao todo, foram cerca de 103 milhões de euros gastados em contratações, isso contando com a aquisição permanente de Coman, e por volta de 32 milhões ganhos com as saídas. Ou seja, uma despesa de mais de 70 milhões de euros.


Porém, nem tudo são críticas. Se na temporada passada a equipe parecia envelhecida e cansada, as contratações mostraram que a diretoria bávara notou isto e voltou a apostar em longo prazo. Em uma média de 24 anos entre os novos contratados, o jogador mais velho contratado foi Rudy, com 27 anos. Enquanto isso, entre as saídas, a média de idade foi de 30 anos.


Getty Images
Getty Images

Mesmo sendo a contratação mais impactante do Bayern nesta janela, James Rodriguez ainda precisa provar que poderá render no esquema de jogo bávaro


O resumo da ópera: o Bayern contratou bons nomes para repor as saídas, com jogadores mais jovens e com mais gás para a longa temporada, e voltou a pensar a longo prazo em suas contratações. Porém, fez pouco para “engordar” mais o elenco, diminuindo o número de opções para Ancelotti após uma temporada assombrada por lesões.


Se isso é suficiente para um clube como Bayern nesta longa temporada pré-Copa do Mundo só o tempo dirá, mas não há dúvidas de que a diretoria bávara fez uma aposta arriscada.