As fragilidades do elenco do Bayern foram escancaradas

Após uma série de grandes resultados a partir de fevereiro deste ano, o Bayern começou a decair em seu futebol apresentado nas últimas semanas. Mesmo com o ótimo futebol apresentado contra o Augsburg e o Borussia Dortmund na Bundesliga, os resultados recentes contra Hoffenheim, Real Madrid e Bayer Leverkusen demonstram claramente que os bávaros sentem muita falta de seus principais jogadores.


Contra o Hoffenheim, sem Thiago, Neuer e Lahm, o time perdeu por 1 a 0. Contra o Real Madrid, sem Lewandowski e Hummels e com um homem a menos, o Bayern sucumbiu totalmente no segundo tempo. Já em Leverkusen, com praticamente o time reserva em campo, a equipe de Ancelotti não conseguiu tirar o 0 a 0 do placar mesmo com um a mais em campo.


Getty Images
Getty Images

Ancelotti está precisando quebrar a cabeça para fazer o time render sem suas principais peças


A falta que Lewandowski faz em campo é nítida e escancarada. E não adianta insistir em Thomas Müller. Ele não é centroavante e nem falso nove, sem dizer que a fase pelo que ele passa é digna de acompanhamento psicológico. Jamais Müller poderia substituir o que Lewandowski vem fazendo em campo para o Bayern, ou até chegar na metade do desempenho do polonês.


E tudo indica que o Bayern poderá ir a Madrid ainda mais desfalcado sem ao menos um zagueiro de origem. Martinez está suspenso, Boateng e Hummels ainda não se recuperaram das lesões da semana passada e todos sabemos o que isso pode significar contra o potente ataque do Real Madrid, mesmo com a provável volta de Lewandowski no ataque.


Getty Images
Getty Images

É Müller, as coisas não estão fáceis


Se contra o Leverkusen a equipe mostrou uma defesa instável e um ataque sem dentes, terça-feira em Madrid poderemos ter um ataque mais ameaçador, porém com uma defesa para lá de fragilizada.