Um passo de cada vez: o 'novo Bayern' precisa ser construído

Essa pré-temporada do Bayern foi assustadora. Ao longo do período preparatório, tivemos uma surpresa bastante desagradável: o clube pecou excessivamente no poder de reação. E esse problema, se pensarmos bem, era a ponta do iceberg. Quando precisamos reagir, é porque antes pecamos na retaguarda, permitindo que o adversário chegasse ao gol. Aos gols. Foram vários sofridos ao longo dos cinco principais jogos - até no único em que vencemos. Vários erros que culminaram em uma desconfortável e desnecessária desconfiança.


A goleada contra o Chemnitzer, na primeira fase da Pokal, por 5 a 0, de forma alguma serviu como medida paliativa ao que aconteceu nos meses de julho e começo de agosto. Inegavelmente faz com que a gente respire, ainda que um vexame estivesse fora de cogitação, mas não nos faz esquecer os problemas. Problemas oriundos de um determinador comum: a necessária e esperada renovação do plantel, tantas vezes comentada aqui neste espaço desde 2014. Uma hora ela chegaria, e a hora é agora.


Justamente por esse motivo, enxergo essa temporada como diferente das disputadas nos últimos anos. Bastante diferente. Eu não vou tecer qualquer panorama com relação a títulos, já que antes é necessário que o time ganhe forma. É claro que na hora da raiva a gente despeja nas redes sociais as piores e mais pessimistas previsões possíveis, mas, quando a gente passa para o papel (aqui, no caso, para o blog), as coisas são diferentes. É preciso mais lucidez.


Ao longo dos últimos cinco anos, sempre vivemos pensando na Champions League e na possibilidade de fecharmos uma Tríplice Coroa com a taça da Pokal - a Bundesliga, pensávamos, dificilmente não estaria encaminhada após a 10ª rodada. Em 2017/2018, entretanto, precisaremos exercitar e muito algo que por muitas vezes deixamos de lado em prol da glória almejada nos meses de maio e junho: o pensamento no próximo jogo, a preocupação com a partida seguinte. Viver e torcer dando um passo de cada vez, não pensando já no final. Nos últimos quatro anos isso não apenas nos fez mal, como também nos fez subvalorizar as conquistas da Bundesliga e da Pokal.


Getty Images
Getty Images

Um passo de cada vez


Ainda temos um grande elenco. Mais rejuvenescido, mas com potencial de ser competitivo. Creio, todavia, que as dificuldades serão constantes e o amadurecimento, gradual. Perdemos a pré-temporada passando vexame e nada nos restou além de usar esse primeiro semestre para definir como será o novo Bayern. Cada jogo será importante e cada jogo poderá nos reservar uma surpresa. Mesmo na pré-temporada, já tivemos um grande destaque: Rudy, no amistoso de luxo contra o Dortmund, só não fez chover no meio de campo. Sempre o consideramos como reserva, assim que sua contratação foi anunciada. Agora as coisas mudam, já que a moral conquistada naquele jogo lhe dá mais credibilidade para lutar por um espaço no onze principal.


Esse será nosso foco: na manutenção do nosso elenco e em cada ponto conquistado. Esqueça a Champions League, esqueça a garantia do título da Bundesliga. Os rivais de título, seja em nível nacional como internacional, estão fortalecidos e mais entrosados. Teremos uma batalha a cada partida nesta temporada. É algo que me deixa bastante animado, mas também um pouco receoso. Mas, neste momento de renovação, a confiança precisa se sobressair. O primeiro passo na temporada foi dado, estamos na segunda fase da Pokal. Em menos de uma semana começa a Bundesliga e, com ela, uma nova história. Vamos em busca do que for possível, sempre com os pés no chão e reconhecendo que o elenco necessitará constantemente de entrosamento.


Siga Bruno Secco no Twitter