A missão de James Rodriguez no Bayern

Após os rumores se intensificarem na última semana, nesta terça-feira (11) o Bayern anunciou o empréstimo de James Rodriguez junto ao Real Madrid. Embora os valores não tenham sido informados, as cifras giram em torno de €10 milhões (€5mi por temporada) e nossa agremiação possui opção de comprá-lo após o término dos dois anos previstos em contrato. A aquisição do colombiano é a confirmação de que Alexis Sanchez definitivamente está descartado - como conversamos neste espaço, James seria o plano 'B' caso o chileno não fosse possível, e foi exatamente isso que aconteceu.


Sua vinda à Baviera também é um grande alívio, afinal de contas, há tempos o torcedor pedia (praticamente suplicava) por uma contratação de impacto. O mercado do Bayern passa longe de ser ruim, mas trazer alguém que quebrasse a banca era bastante necessário para que a mídia voltasse os holofotes ao nosso clube e principalmente para que nossas chances de postularmos o título da próxima Champions League fossem oxigenadas.


Getty Images
Getty Images

Bem-vindo, James


James Rodriguez chega ao Bayern com uma grande missão, que é se livrar do rótulo de refugo do Real Madrid. Missão tranquila, já que até Robben (na época em pior condição) conseguiu. Muitos torcedores, e inclusive este que vos escreve, torceram o nariz quando a possibilidade de sua contratação passou a ser real, exatamente por acreditarem que o primeiro passo para tentar vencer o clube merengue na Champions League não era contratar alguém justamente do rival. É claro que isso é mais uma vaidade propriamente dita do que de fato alguma dúvida sobre sua qualidade.


O colombiano tem um perfil interessante e totalmente compatível ao que o Bayern precisa: ele atua tanto pelas pontas como também centralizado, sendo esta última sua posição preferida. Na Baviera, todavia, provavelmente James chegará para suprir a ausência de Douglas Costa, quase certo na Juventus. Ou seja: jogará pela ponta-esquerda, disputando o setor com Ribery. Suas chances de se consolidar no setor são enormes, já que estamos em temporada de Copa do Mundo e gás para se provar não falta.




Algumas pessoas me perguntaram nas redes sociais sobre a possibilidade de o colombiano atuar pelo centro do campo. Ela existe, até porque é sua posição de ofício, mas isso, caso ocorresse, quebraria toda uma lógica. Thiago, consolidado no setor, teria de ir para o banco, e como consequência a estadia de Müller na Baviera praticamente chegaria ao fim, já que seria totalmente inutilizado. O iminente empréstimo de Gnabry ao Hoffenheim também teria de ser cancelado, para assim ele atuar junto com Ribery na ponta-esquerda. James é ótimo pelo meio, mas sua função no Bayern claramente é outra.


Com a contratação de James, a atuação do Bayern na janela de transferências parece finalmente estar próxima de se encerrar. Foram, até o momento, cinco contratações: Süle e Rudy no inverno; Gnabry, Tolisso e agora Rodriguez no verão. É importante frisarmos que ainda há uma grande necessidade a ser suprida, que é contratar um substituto para Lewandowski. A fome do torcedor do Bayern foi saciada com a aquisição de James, mas é prioritário que a 'sobremesa' seja preencher a lacuna que encontra-se na reserva do ataque do clube.


Siga Bruno Secco no Twitter