Por qual motivo o Bayern negou Cristiano Ronaldo com tanta veemência?

Cristiano Ronaldo já foi apontado como possível reforço do Bayern em algumas ocasiões. Nesta janela de transferências não foi diferente: o jornal italiano Gazzetta dello Sport cravou que o clube negocia nos bastidores para contar com o craque português na próxima temporada. Ainda que quem crave a informação tenha credibilidade, ignoramos, já que as chances de ser boato - como nas outras ocasiões - eram enormes.


E ainda são: não há insatisfação que dure muito sendo o principal jogador de uma equipe bicampeã da Champions League. Não é preciso ir muito longe para chegar à obviedade de que as chances são mínimas e a informação, irrisória. Mas, em meio a tudo isso, algo me chamou atenção. Logo nas primeiras horas desta segunda-feira (19), o Bayern fez algo bastante anormal: veio a público, através de suas redes sociais e de sua página oficial, desmentir o boato.


Confesso para você que não entendi a razão para isso acontecer. Especulações existem aos montes. Diariamente, nos mais diversos jornais da Europa e do mundo, atletas são cravados em determinadas agremiações - e isso se acentua quando vivemos o período de transferências, quando o mercado entra em ebulição. Só nesta janela de verão mais de dez atletas já foram apontados como possíveis reforços para a próxima temporada - e vieram apenas dois. Cristiano é o mais absurdo dos rumores. Por que dar tanta ênfase nele?


Getty Images
Getty Images

Bayern veio a público negar veementemente a vinda de CR: não era mais fácil ignorar os rumores, como sempre fez?


Comunicado com quatro parágrafos, Rumennigge dizendo que isso é uma "fantasia". O clube se fazendo valer de uma foto de Kimmich escurecida dando a entender que o 'ser misterioso' seria Cristiano. É uma preocupação desnecessária que acaba deixando algums dúvidas. Falta do que publicar? Vontade de surfar na onda da principal notícia do mercado da bola? Dada a anormalidade da ênfase depositada no tema, fato mesmo é que todas essas preocupações e publicações foram, no mínimo, questionáveis.


Caso o interesse realmente fosse real, seria um jogador que agregaria demais ao clube. É o melhor do mundo e qualquer outro pensamento contrário à sua inegável qualidade técnica seria pura perseguição. Talvez o Bayern não fosse o destino ideal para ele, justamente pelo fato de haver a necessidade de o clube abdicar totalmente de sua forma coletiva de jogar, para assim atuar mais em função do craque. Não restam dúvidas de que se sairia bem por aqui, mas outras peças, bem como a mentalidade, seriam subvalorizadas. Não daria liga e, por mais que Ancelotti o ame, tanto ele como o Bayern sabem disso.


Em suma: Cristiano não vem e não há segredo algum nisso. Mas que esta forte manifestação contrária à sua contratação foi estranha, isso foi.


Siga Bruno Secco no Twitter