Começa uma triste, mas esperada debandada na base do Bayern

Contratar Coman em definitivo junto à Juventus, Süle do Hoffenheim, Gnabry do Werder Bremen e Tolisso do Lyon são ações que geraram efeitos controversos no Bayern. Há inegavelmente bastante expectativa para o futuro, já que os quatro possuem, respectivamente, apenas 20, 21, 21 e 22 anos. Ao mesmo tempo, no entanto, há também a triste contrapartida dos atletas que integram a base do clube se sentirem cada vez mais desmotivados.


É um sentimento bastante compreensível. Afinal de contas, a cada aposta contratada para o time principal é outra da base que acaba renegada. O processo de promoção de jovens não deixou de ser feito: a expectativa para esta nova temporada é de que três revelações passem a integrar com mais frequência o banco do clube. Felix Götze como zagueiro, Christian Früchtl como terceiro goleiro e o austríaco Marco Friedl também como membro da retaguarda.


Entretanto, as recentes aquisições deixaram claro que uma triagem foi feita. Os jogadores que permaneceram nas categorias de base ficaram sem qualquer perspectiva de aproveitamento para o futuro. O clube tem noção de que este momento é chave para a renovação do plantel. E aos que se sentiam preparados para subir, mas acabaram preteridos, não restou outra alternativa que não fosse deixar a Baviera.


Getty Images
Getty Images

Há um ano Öztürk deixava boa impressão; hoje, é um ex-bávaro


Até o momento já foram cinco baixas na base do clube, e com uma sexta prestes a acontecer. Apenas nos últimos 15 dias saíram Yousef Emghames, ponta-direita de 19 anos, para o Hannover; Sebastian Bösel, volante de 22 anos, para o Sonnenhof Grossaspach; Karl-Heinz Lappe, centroavante de 29, para o Munique 1860; Leon Fesser, zagueiro de 22 anos, para o Paderborn; e Erdal Öztürk, meia central de 21, para o turco Kayserispor.


Com exceção de Lappe, todos promissores. É triste ver a juventude amadurecendo em outros clubes, mas a diretoria optou por renovar o elenco contratando, em vez de dar oportunidades. A opção é compreensível e até previsível, já que o Bayern tem pressa em realizar esta necessária transição. Perceba que todos os jovens contratados já fizeram bons trabalhos no futebol profissional e estão a um passo de se tornarem realidades - algo que já não ocorre na situação destes que se foram.


Faltam 45 dias para a próxima temporada começar e a debandada deverá seguir até o final de julho. Gaudino, que voltou recentemente de péssimo empréstimo para o St Gallen, deverá ser o próximo a sair. Juntando todas as transferências, o Bayern não chegou a lucrar 500 mil Euros. São jovens que irão por muito pouco e, possivelmente, poderão voltar no futuro por algum preço astronômico, como foi com Hummels.


Lá na frente, caso isso aconteça, muitos apontarão o erro do Bayern em não enxergar o talento desperdiçado. E o clube nada poderá fazer a não ser investir muito para tentar reconquistá-lo. O Bayern teve tempo para pensar em moldar sua próxima geração e a saída destes jovens nada mais é do que parte do seu planejamento. Chegou a hora de fazer apostas e o clube segue exatamente esta linha. Não da forma natural, como todos esperavam, mas cabe a ele pagar ou não o preço no futuro.


Siga Bruno Secco no Twitter