Contratação de Tolisso é um choque de realidade ao Bayern

A contratação de Corentin Tolisso foi oficializada pelo Bayern na tarde desta quarta-feira (14). Jovem de apenas 22 anos proveniente do Lyon, ele chega na Baviera contratado por cinco anos e, segundo o site oficial de seu ex-clube, por absurdos 41,5 milhões de Euros. Tolisso, um jogador que até então é visto mais como uma aposta para o futuro, passa desde já a ostentar o status de contratação mais cara da história do Bayern, superando o valor de Martinez (€40 milhões).


A aquisição deste jovem por um valor tão salgado é um grande choque de realidade ao clube. Representa bem uma quebra de padrões de sua política financeira, até então seguida à risca e sem exceções. Demorou, mas o Bayern finalmente parece ter compreendido que o mercado nunca esteve tão inflacionado e que, para montar um time competitivo, não resta outra alternativa a não ser tirar o escorpião do bolso.




Embora o contratado não reflita isso que digo, já que Tolisso ainda passa longe de ser alguém de classe mundial, o nível de investimento da parte do Bayern claramente aumentou, e isso potencializa ainda mais as chances de, ainda nesta janela, outro atleta ser contratado por valor superior ao investido no jovem. Alexis Sánchez? É possível que sim, embora seja mais provável apenas apontar que esta quebra de barreira aconteça apenas em alguém destinado àquele setor da ponta-esquerda.


Reprodução/FC Bayern
Getty Images

Acredite: uma aposta é a contratação mais cara da história do Bayern


Não apenas o debate sobre o altíssimo valor investido em Tolisso (e a quebra de paradigmas para contratações) precisa ser levantado, mas também como ficará a situação de Renato Sanches no clube. A vinda de Corentin não apenas pulveriza as já microscópicas chances que Gaudino teria no time principal, como também coloca em xeque a estadia do português na Baviera. Com Vidal e provavelmente Martinez considerados titulares na volância e Rudy já sendo um pronto substituto, é certo que não haverá vaga para dois promissores jovens no mesmo setor.


Já fui mais convicto de que a melhor solução seria se desfazer de Renato Sanches, mas hoje creio que a melhor anternativa é mesmo emprestá-lo. Embora Juventus e Internazionale já tenham demonstrado interesse em comprá-lo, é mais prudente, dado seu potencial, cedê-lo por tempo limitado e, de preferência, para um time alemão, já que isso poderia facilitar sua adaptação ao país. Um dos principais fatores que o fizeram ir mal na última temporada, dizem algumas fontes mais próximas do clube, foi a adaptação ao clima da Alemanha.


São apostas que o Bayern vai fazendo para seu futuro. Kimmich quase certo para a lateral-direita, o questionável Coman para a ponta-direita, Süle e Felix Götze para fazerem sombra ao Boateng e Hummels, Renato Sanches antes única opção para a volância e centro do campo, e agora Tolisso, que igualmente faz estas funções do português. Todos estes jovens possuem um lugar certo no plantel, com exceção dos dois últimos citados. Por Tolisso ser a novidade, o foco, agora, deverá ser um estudo sobre o que fazer com Renato nos próximos dias.


Siga Bruno Secco no Twitter