Bayern: contratação de Gnabry não pode significar desistência de Alexis Sánchez

Finalmente o Bayern deu um importante e contundente passo no mercado de transferências. O clube anunciou, neste domingo (11), a contratação de Serge Gnabry junto ao Werder Bremen. É possível que o Gigante da Baviera nada pague pelo jovem alemão de 21 anos, já que três dias atrás ele acionou uma cláusula de seu contrato que o permitia ficar livre para negociar com outra agremiação.


A contratação de Gnabry foi certeira pelos simples motivos de o Bayern ter conseguido garantir um dos melhores jovens da última edição da Bundesliga - Serge anotou 11 gols e deu dois passes, sendo fundamental na boa campanha do Bremen - e também por ter conseguido mesclar juventude com o fato de ser alemão - este, para quem não sabe, é um dos mais adorados perfis da diretoria bávara na hora de contratar alguém. Querendo ou não, é o fortalecimento da identidade alemã no clube, algo tão pedido por parte da torcida.


Entretanto, cabem também alguns questionamentos sobre o negócio. Afinal, Gnabry vem para substituir quem? A melhor ideia para aproveitar seu perfil é vê-lo como um substituto de Robben, o que deixaria a ponta-direita muito bem servida para a próxima temporada. Como conversamos recentemente, o holandês não tem um substituto a altura, mas agora este substituto poderia ser tranquilamente Serge.


Recentemente fizemos uma pesquisa analisando alguns perfis para o banco de Arjen e, mesmo perdendo para Julian Brandt, Gnabry foi bem votado pela torcida do Bayern.




Diferentemente dos torcedores, que enxergam Serge apenas como uma excelente opção caso Robben seja desfalque, a mídia alemã já começou a especular que o jovem alemão veio para suprir a ausência de Ribery, prevista, segundo o Abendzeitung München, já para a metade de 2018 - provavelmente em função de sua aposentadoria. E este rumor é perigoso e preocupante, já que pode frustrar - e muito - nossas expectativas de contar com Alexis Sánchez, perfil realmente aguardado para substituir e futuramente ser dono da posição hoje revezada por Franck e Douglas Costa.


Getty Images
Getty Images

Gnabry precisa vir para substituir Robben, não para disputar posição com Ribery


Gnabry, que fez ótima Olimpíada no ano passado, é uma das grandes revelações do futebol alemão nos últimos anos e seria um verdadeiro tiro do pé colocar tamanha responsabilidade em cima do garoto - na carreira do atleta e principalmente nas pretensões futuras do clube. Embora aspire confiança, a realidade do Bayern é muito diferente à do Werder Bremen, e o peso de jogar uma partida que pode colocar o clube numa Europa League passa longe de uma que pode classificar nossa agremiação para uma semifinal ou até final de Champions League.


Precisamos ter em mente que a ideia de trazer alguém tarimbado e de nível mundial é de vital importância para os meses de abril e maio de 2018. Apostar em jovens é sempre muito importante, mas nestas fases mais agudas da temporada a experiência ainda se sobressai - são raríssimas as revelações que conseguem fazer alguma coisa neste período, e isso é absolutamente normal. É preciso respeitar seu período de amadurecimento.


Portanto, que a contratação de Serge tenha sido apenas o primeiro passo do Bayern neste atual mercado de transferências. Para a ponta-esquerda, precisa vir uma realidade e alguém que aguente a pressão - Alexis Sánchez ou quem sabe até James Rodriguez. Que o contrato de três anos de Gnabry coloque em xeque apenas a estadia de Coman no clube, não a certeza de termos um plantel realmente preparado para a próxima temporada. Isso, no fundo, será bom para ele e também para o próprio clube.


Siga Bruno Secco no Twitter


Leia também: Bayern só deve trazer Corentin Tolisso sob uma condição