Com jovens da base sendo protagonistas, Barça B superou a desconfiança

O começo da temporada do Barça B foi cheio de dúvidas. Depois de chegar a ser ameaçado de rebaixamento em seu primeiro ano de volta à terceira divisão, muito se questionava sobre a qualidade do treinador Gerard López e do elenco, que parecia priorizar os jogadores mais velhos e experientes, vindo de fora, do que os atletas formados na base.


A maioria dos questionamentos eram pertinentes. Por mais que voltar à segunda divisão fosse uma prioridade, a função da filial é fazer a ponte entre o time juvenil e o principal. Sem essa ponte, muitos jogadores poderiam se tornar talentos desperdiçados por não ter um ambiente propício para fazer essa transição.


Com a temporada chegando ao fim, o cenário de dúvidas foi substituído pelo de otimismo. O Barça B já garantiu o título de seu grupo na terceira divisão com duas rodadas de antecedência, e agora terá duas chances para garantir a promoção.


A primeira é o play-off entre os quatro campeões de grupo, que se enfrentam em duas fases. Os vencedores das semifinais garantem o acesso à segunda divisão e disputam a final para definidir o campeão geral da terceira divisão. Os dois derrotados se juntam aos outros 12 times que ficaram entre a segunda e quarta colocação em seus grupos e disputam um novo play-off, que define quem leva as últimas duas vagas do acesso.


Sendo assim, o Barça B está a dois jogos de garantir a promoção caso consiga se classificar para a final dos play-offs dos campeões de grupos. Caso perca, terá outra chance, mas precisará vencer duas fases do mata-mata entre os outros classificados de cada grupo para conseguir o feito.


Getty Images
Getty Images

O título do grupo está assegurado. Falta o acesso à segunda divisão


A preocupação do time ser formado por muitos jogadores mais experientes ficou para trás. Claro, eles fazem parte da equipe titular porque são necessários para manter a competitividade, mas não são eles que dominam as vagas no elenco. Os destaques são Dani Romera, artilheiro da equipe com 15 gols, e Perea, que já marcou 10 no campeonato. Fali, que atua no meio de campo e na zaga, também se tornou um jogador importante e de confiança do treinador.


Contudo, os grandes destaques são da base, ou jogadores jovens contratados para fortalecer posições carentes do time. O brasileiro Marlon, por exemplo, teve um bom começo, acabou perdendo espaço em seguida, mas já recuperou seu posto de titular e deve ser contratado em definitivo pelo clube.


Palencia, o capitão da equipe, é titular na lateral direita e é muito merecedor de uma chance no time principal, que está carente de jogadores dessa posição. Luis Enrique parece não gostar dele, sem muitos motivos para isso, e a chegada de outro treinador pode ser a esperança para mudar essa situação.


No meio de campo, se destacam Ferrán Sarsanedas e Carbonell, além de Aleñá, que nos últimos tempos tem passado mais tempo no time principal do que no Barça B. Boa parte da melhora da filial, que agora joga de forma mais parecida com o time principal, se deve aos jogadores da base tomando espaço no setor criativo do time e ditando o ritmo do jogo.


O ataque é onde mora a maior surpresa da temporada. Marc Cardona, de 21 anos, chegou como opção para o ataque e é o vice-artilheiro da equipe, com 14 gols, mesmo perdendo muitos jogos por lesão. O jovem é um centroavante nato, com faro de gol e excelente qualidade tanto para se posicionar bem quanto para finalizar. Cardona aparenta ser um jogador de muito futuro e precisa ser observado de perto pela comissão técnica do time principal.


Além disso, jogadores do time juvenil ganharam boas oportunidades. Os atacantes Mboula, Lee e Guillemenot, o goleiro Sergi Puig, o meia Oriol Busquets (que não é parente de Sergio Busquets), e principalmente o ótimo lateral esquerdo Marc Cucurella, que se tornou titular na reta final da temporada após ganhar espaço com as lesões dos jogadores da posição.


No fim, uma temporada que poderia ser ruim acabou ganhando um excelente rumo. Méritos também para o treinador Gerard López, que ajustou o time taticamente, deu espaço para os jovens mais talentosos que surgiram no time juvenil e está colhendo os frutos de suas decisões.


O título do grupo é importante, mas a grande recompensa precisa vir com o acesso à segunda divisão. Contudo, mesmo se a promoção não vier, a temporada trouxe um grande avanço para o Barça B. Antes, a equipe parecia sem rumo. Agora, mostra estar no caminho certo para voltar a ser a ponte ideal para os jogadores que querem chegar ao time principal.