A história de Lionel Messi na Argentina não pode ser deturpada

Como é fácil criticar sem saber do que está falando.

O torcedor acorda, abre algum site ou vê no jornal apenas o resultado de uma partida e já forma uma opinião. A partida da Argentina da noite passada é mais um exemplo. Que zebra! Logo, o mesmo já conclui: "Culpa do Messi", "Messi pipoqueiro", "Messi não ganha nada com a Argentina".

Pois bem, coisas de torcedor.

Já alguns especialistas, comentaristas e até oportunistas preferem resumir o comentário ao resultado final sem considerar a partida em si e as circunstâncias, concluindo: "Messi não resolveu", "Messi esteve apagado", "a Argentina de Messi é um vexame".

Já pararam para pensar como deve ser difícil ser Lionel Messi e continuar com um rendimento absurdo?

Messi é tão bom e tão acima de qualquer outro que deixou torcedores, haters e imprensa mal acostumados e ultra exigentes em análises e cobrança a cada partida que faz. De repente o gênio argentino tem a obrigacão absoluta de resolver todos os jogos, com assistências e gols. Nota 7 pra ele parece que é lixo.

As jogadas que Messi produz ninguém faz igual, desde os lançamentos milimétricos, passando pelos passes, dribles e, principalmente, jogar sempre com marcação tripla, conseguindo dar continuidade e com a responsabilidade e o peso de todas as partes em suas costas.


getty images
getty images

Sempre entre 3, 4 adversários


Ainda assim, diferente do que alguns pensam, Messi segue sendo espetacular, ano após ano. O único problema é que querem que ele seja sempre genial. As pessoas acham que em todas as partidas o camisa 10 vai limpar o zagueiro e dar aquele chute de curva na gaveta, ou fazer gol driblando 3, 4, ou ainda que ele é obrigado a armar na intermediária e já estar na área para conferir. Esquecem que na Argentina e no Barcelona existem outros jogadores ao seu lado. Esquecem que a única vez que alguém, de fato, decidiu por ele (Neymar contra o PSG) foi considerado naquele mês o melhor do mundo. Sente o peso!

O nível de cobrança com Messi é desproporcional.

Messi não pode esperar por alguns minutos uma bola na área, senão já vira sumido ou pipoqueiro. Mas Messi não se omite, ele quer a bola, busca nos pés do zagueiro como ninguém mais e sempre tenta com diversos recursos construir as jogadas. Ontem mesmo precisou algumas vezes se livrar de três zagueiros para iniciar ataques - os companheiros recebiam, mas não davam continuidade. Para piorar, Di Maria se machucou no ínicio e Dybala foi substituído equivocadamente aos 20 do segundo tempo. Jogar com quem? Icardi? Não sabe nem fazer uma parede. E Aguero? Sampaoli nem o colocou em campo.

E quem sobra para fazer sociedade com Messi? Quer mesmo saber?

Quais desses jogadores voce colocaria como titular em alguma seleção de alto nível para jogar ao lado de Messi e disputar títulos (cuidado, muitos você nem irá saber quem é):

1. Sergio Romero
14. Mascherano
3. Federico Fazio
17. Otamendi
16. Lauro Acosta
19. Banega
15. Guido Pizarro
11. Di Maria
7. Icardi
21. Dybala
2. Pareja
4. Bustos
5. Paredes
6. Biglia
8. Rigoni
9. Aguero
12. Guzman
13. Benedeto
18. Acuna
20. Correa
22. Pastore
23. Rulli

A resposta unânime diante deste triste elenco certamente deve ter sido: Dybala. Sobra alguém? Na minha visão, ainda dá pra ter boa vontade com Otamendi e com o goleiro Romero. E é só! 

Mesmo assim, o jovem craque da Juventus ainda é um iniciante na seleção de seu país, falta maturidade, rodagem, ele ainda não conseguiu ajudar muito.

Higuaín, Aguero, Pastore, Icardi, Di Maria, esses é quem oscilam demais ou não dão certo na seleção. Messi é justamente o contrário, sempre joga bem, sempre dá resposta, sempre carregou o time até as finais das competições, sem contar que é o maior artilheiro da história.

Exagero? Um exemplo:

Se lembram da primeira fase da Copa do Mundo 2014?

-2 a 1 contra a Bósnia na primeira partida: gol e assistência de Messi.
-1 a 0 contra o Irã na segunda partida: gol de Messi nos acréscimos.
-3 a 2 contra a Nigéria na terceira partida: dois gols de Messi.

Se não fosse o camisa dez, a Argentina nem se classificaria para a segunda fase. Isso, sim, seria um vexame.


getty images
getty images

Nessas costas ele carrega um país inteiro


Inclusive, Argentina não é Brasil, e os vexames lá são recorrentes. Ficaram de fora da Copa de 1970 sendo eliminados nas eliminatórias pelo Perú. Caíram na primeira fase da Copa em 2002, sofreram para se classificar na repescagem para a Copa de 1994 diante da Austrália.

Essa campanha de eliminatórias está sendo uma vergonha? Sim. Mas não digam frases como: "o melhor do mundo não vai levar a Argentina pra Copa?"

Para quem não se informa ou não tem memória, Messi esteve ausente do time em 8 partidas e esta é a campanha da seleção Argentina com e sem Lionel Messi:

Eliminatórias Copa Rússia 2018 SEM Lionel Messi:

Rodada 01: Argentina 0 X 2 Equador: estreia com derrota em casa.
Rodada 02: Paraguai 0 X 0 Argentina
Rodada 03: Argentina 1 X 1 Brasil (de Dunga)
Rodada 04: Colombia 0 X 1 Argentina: única vitória sem Messi
Rodada 08: Venezuela 2 x 2 Argentina
Rodada 09: Perú 2 X 2 Argentina
Rodada 10: Argentina 0 X 1 Paraguai
Rodada 14: Bolívia 2 X 0 Argentina

TOTAL SEM Messi:
8 jogos
1 vitória
4 empates
3 derrotas
07 PONTOS conquistados

Eliminatórias Copa Rússia COM Lionel Messi:

Rodada 05: Chile 1 X 2 Argentina
Rodada 06: Argentina 2 X 0 Bolívia: Messi fez gol e foi o melhor em campo
Rodada 07: Argentina 1 X 0 Uruguai: Messi fez o gol e foi o melhor em campo.
Rodada 11: Brasil (de Tite) 3 X 0 Argentina
Rodada 12: Argentina 3 X 0 Colombia: Messi fez um gol, deu duas assistências e foi o melhor em campo em uma atuação de gala
Rodada 13: Argentina 1 X 0 Chile: gol de Messi
Rodada 15: uruguai 0 X 0 Argentina: Messi melhor em campo
Rodada 16: Argentina 1 X 1 Venezuela: primeiro tropeço em casa com Messi

TOTAL COM Messi:
8 jogos
5 vitórias
2 empates
1 derrota
17 PONTOS conquistados

Falar o que dessa disparidade dos números?

Mas não são somente os números, o fundamental a se analisar é a questão campo. Sem Messi é um futebol horroroso, o time nunca se encontrou. Tudo gira em torno dele, todas as bolas têm que sair de seus pés e assim foi durante todas as partidas. Messi carrega responsabilidades demais e, mesmo assim, dá resultados impressionantes para o seu país. Ele faz a diferença, mesmo quando não marca, mesmo quando não dá passes pra gol. A sua presença já garante posse de bola e controle do jogo. Ele candencia, acelera, conecta o time, incurta as distâncias e encobre os defeitos da equipe se redobrando.

Para piorar, a Argentina já está com o seu terceiro treinador, por ali já passaram Tata Martino, Bauza e agora o excêntrico Sampaoli. Sinal mais do que claro de que o Messi vem superando todo tipo de mudanças (táticas e de escalação) para seguir dando incríveis resultados.


getty images
getty images

Mais respeito com a história do melhor do mundo


Quanto mais eu vejo essa Argentina sucumbir e rastejar para alcançar seus resultados, mais eu admiro Lionel Messi em toda sua trajetória com a camisa albiceleste e mais me dói ver alguém querer menosprezá-lo sem ter base de informação do que está falando.

Se a Argentina chegou nas últimas três finais das competições que disputou e se ainda tem chances de ir ao Mundial da Rússia, ninguém pode negar que foi graças ao talento inalcansável de Messi. 

A história não pode ser mal contada. Mais respeito com o melhor do mundo, mais respeito com o futebol mais completo e mais mágico que existe.

Mais respeito com Lionel Messi.

Clique aqui para curtir a página Barcelonizando no Facebook