Neymar não é vilão: será no PSG o que já é na seleção brasileira

Que torcedor não fica triste, frustrado ou até com raiva quando vê um ídolo do seu time querer ir embora? Natural.

Agora vejam o lado de Neymar. Ele recebeu uma proposta que irá transformar em três partes o seu lado profissional:

Panela brasileira: Dani Alves, Thiago Silva, Lucas, Marquinhos e cia farão Neymar se sentir em casa.

Salário dobrado: se nao fosse também bom para o bolso, ele provavelmente não deixaria uma marca como a do Barcelona, mas um salto de 15 milhões de euros para 30 milhões é bastante aceitável, não?

Protagonismo: Neymar chegará para ser o camisa 10, cobrador de faltas, de pênaltis e dono do time. Ninguém mais acima, da mesma maneira que já é na selecão. Do mesmo jeito que Neymar consegue ser mais Neymar, consegue brilhar mais, comandar as ações do jogo, ser mais destacado, mais reconhecido.


getty images
getty images


Ao lado de Messi iria demorar pelo menos mais dois anos para Neymar ser o melhor do time. Essa é a verdade. O argentino praticamente não oscila, possui maior porcentagem de acertos em dribles, gols, passes e lançamentos. Messi termina muito melhor as suas jogadas e, por mais que Neymar faça mágica, o barbudo da camisa 10 sempre estará um passo à frente.

Neymar não quis mais esperar. Neymar não é vilão por isso. O brasileiro já ganhou tudo pelo Barcelona, já cumpriu sua missão, que ao lado de Messi seguiria sendo a mesma: ganhar os mesmos canecos como coadjuvante do gênio maior. O próximo passo pelo Barça, como dono do time, viria talvez apenas em 2022. Até lá, Neymar poderia ganhar tudo de novo, mas poderia também apanhar muito por não ter êxito no gigante e sempre favorito Barcelona. No Paris Saint Germain, Neymar pode ser o responsável por colocar um clube em outro patamar, pode ser responsável em dar ao time francês sua primeira Champions sendo o grande nome.

Se Neymar será mais feliz em Paris do que em Barcelona, eu não sei. Mas que ele se tornará ainda maior, disso tenho certeza. O PSG, que na temporada passada parou nas quartas depois de sofrer a histórica e inimaginável remontada pelos pés de Ney, agora terá o moicano a seu favor para se tornar um dos favoritos a ganhar esta competição.

O risco é perder a Champions e ter que ficar disputando campeonato francês no restante da temporada. Por isso que discordo da escolha do destino. Poderia ter escolhido a Inglaterra, por exemplo. 

E o Barça? O clube catalão tem que responder de imediato, tem que trazer um grande craque para a posição. O escolhido parece ser Coutinho, mesmo não exercendo a mesma função em campo, o que pode ser um grande risco, remodelar a estrutura ofensiva sem um homem com velocidade e profundidade de campo. Se a escolha fosse minha, eu traria o atacante Hazard, do Chelsea. Mas este é um assunto para o próximo post.

O Barça seguirá sendo gigante, o Barcelona ainda é o único time que possui um extraterrestre.

Clique aqui para seguir a página Barcelonizando no Facebook