Sem saída: Barça terá que abrir os cofres para brigar com o Real Madrid

O bicampeonato da Champions League conquistado pelo grande rival Real Madrid, que ainda voltou a conquistar a Liga espanhola depois de 4 anos, promete mudar radicalmente a maneira do clube catalão jogar e montar seu elenco.

O Barcelona entrará na próxima temporada sob uma pressão total por títulos (de imprensa e torcida). Agora a cúpula diretiva não tem mais saída, vai ter que contratar para formar não só um time, mas um elenco de peso.


Getty Images
Getty Images

O Barça tem que acabar com isso


Apesar da Liga espanhola ter sido perdida por apenas 3 pontos de diferença, com diversos erros de arbitragem, com vitória épica no Bernabéu e com Chuteira de Ouro de Messi, ficou claro que a diferença que levou a equipe comandada por Zidane ao doblete foram as incríveis opções no grupo de atletas.

A final da Champions comprovou também a carência de banco da Juventus, que encarou o Real de frente na primeira etapa, mas que morreu no segundo tempo sem boas peças de reposição para acompanhar tamanho ritmo imposto pelo time espanhol, que possui em seu banco craques como Asensio, Bale e James, por exemplo.


Getty Images
Getty Images

O jovem craque Asensio é um peça melhor do que qualquer suplente do Barça


Além de incorpar o elenco, o Barça terá de ser cirúrgico, buscando jogadores que proporcionem maior variação de jogo ao time. Apesar de possuir craques mais geniais do que o Real Madrid entre os titulares, o clube azul grená não tem nem de longe o mesmo leque de alternativas.

Mais uma vez, usando a final da Champions como exemplo, vimos que a Juve soube neutralizar durante quase toda a partida o lado esquerdo mortal de Marcelo, porém, o Real Madrid tem tantos modos de agredir, que Carvajal deitou e rolou pela direita, infernizando e desmontando o sistema defensivo italiano. Sem falar no poder de jogadas aéreas e maior distribuição de responsabilidades. Ou seja, enquanto no Barcelona tudo praticamente sai dos pés de Messi, no Real as responsabilidades são naturalmente mais divididas, o que também confunde mais as defesas que sofrem para encontrar o foco de criação. Sorte do agora centroavante Cristiano, que fica quase sempre no mano a mano pertinho do gol só esperando os presentes para matar!


getty images
getty images

No Barcelona tudo ainda gira em torno da genialidade de Lionel Messi


As necessidades do Barcelona não são segredos para ninguém: um lateral direito, um volante/meia que saiba marcar e jogar e um meia atacante.

Para a lateral, Bellerín, do Arsenal, parece ser unanimidade. Por ser formado no clube, por jogar no competitivo campeonato inglês e por não existir muitas opções de mercado nessa posição, o espanhol deverá ser o grande alvo.

Na vaga de volante/meia, o italiano Verratti também parece ser o melhor nome para incomodar Rakitic. Apesar de não ser tão genial e ofensivo como o croata camisa 4 do Barça, o baixinho raçudo do PSG tem melhor poder de marcação, recomposição e manteria a mesma qualidade no passe.


Getty Images
Getty Images

Verratti seria reforço sem risco de não vingar


Já para o meio campo ofensivo, não faltam opções (e não me falem em preço, porque quem gasta R$ 135 milhões em André Gomes pode tudo).

Os meus preferidos seriam, pela ordem, Dybala, Coutinho, James e Ozil. Os dois primeiros não são tão cerebrais como os dois últimos, mas têm mais poder de cair pelos lados e proporcionar mais variações de jogadas, mas, certamente qualquer um desses daria certo para jogar na vaga de Iniesta e também para atuar naquela formação com 3 zagueiros na função exercida por Rafinha, pela beirada direita do campo e cortando pro meio. Como o colombiano James parece já estar negociado com o Manchester United e por Ozil já ter 28 anos, eu ficaria entre Dybala e Coutinho. Ambos chutam de fora, driblam, são velozes, caem pelas duas pontas, sabem armar e também podem substituir alguma ausência eventual do tridente, encostando ainda mais no ataque. 


getty images
getty images

Craque argentino?


Qualquer uma das duas jóias já elevaria muito o poder de fogo da equipe. Mas é hora de a diretoria agir e dar essa resposta aos torcedores. Chega de apostas, chega de pangarés, tem que contratar com precisão e com foco no triplete da próxima temporada.


Getty Images
Getty Images

Ou craque brasileiro?


Da mesma maneira que os 4 títulos de Champions do Barça quase em sequência entre 2006 e 2015 serviram de combustível para o Real Madrid chegar onde chegou com o Bi deste ano, agora é a vez do clube catalão reagir com força.

Sem mais erros, sem mais desculpas, a Orelhuda da temporada 2017/2018 já virou obrigação para o Barcelona.

Clique aqui para seguir a página Barcelonizando no Facebook