O milagre do Barça: a consagração definitiva de Neymar

Mágico, épico, antológico, para a eternidade. Só o futebol para nos deixar perplexos de felicidade. Nenhum torcedor do Barcelona conseguiu dormir esta noite!


Como um roteiro de cinema, quando ninguém mais acreditava, um certo moleque colocou a bola debaixo do braço e foi à luta, foi escrever a história.


Após um 3 a 0 construído com maestria e paciência, o gol de Cavani aos 16 do segundo tempo parecia ter matado o sonho de quase todos amantes do futebol. Faltavam menos de 30 minutos para sair 3 gols. O mundo inteiro jogou a toalha, mas o tal moleque ainda queria acreditar no impossível.


getty images
getty images

Os heróis da remontada histórica


A noite já seria bonita, já seria de aplausos pelo grande futebol apresentado até os 3 a 1. O Barcelona cairia de pé, teria honrado seu manto e os seus torcedores. Após imobilizar o PSG graças ao nó tático de Luis Enrique em Emery com os 3 zagueiros e a qualidade e controle do meio campo de Busquets, o time azul grena sufocou desde o primeiro minuto, colocando medo e não permitindo contra-ataques.


O placar permaneceu no 3 a 1 até os 42 do segundo tempo. A partir daí, preparem as estátuas que a Catalunha ganhou novos santos. O milagre não veio do céu, veio dos pés de Neymar.


Esse relato tem que virar reza!


Em nome da ousadia de Neymar, que no quarto gol partiu mais uma vez pro drible, sofreu a falta, pegou a bola e colocou na gaveta como se fosse fácil. O aproveitamento nas bolas paradas desse cara é assustador.


Em nome da humildade de Messi, que, além de fazer um lançamento genial de 50 metros para Suárez (que preferiu cavar o pênalti a fazer o gol), ofereceu a bola na marca da cal para Neymar, que, com sangue nos olhos, converteu deslocando o goleiro aos 44 do segundo tempo.


Ainda tinham os benditos acréscimos e mesmo assim parecia improvável.


Em nome dos "quarenta e Roberto" e em nome do talento tão raro de Neymar. A última bola do jogo é uma bola parada, Neymar levanta pra área e ela caprichosamente volta para os pés dele. Então o brasileiro tem a frieza de limpar o zagueiro pra esquerda, abrir o campo e evoluir para dar uma cavadinha com a "perna ruim" encontrando o bom menino da base que tantas vezes foi sacrificado na lateral. San Sergi Roberto se atira, estica a perna e antecipando-se ao goleiro faz o Camp Nou explodir em lágrimas. Um milagre acontecendo para 96 mil testemunhas.


getty images
getty images

Sergi Roberto: O menino da base nunca será esquecido


Jamais podemos deixar passar batido também as "abençoadas" jogadas de Suárez na raça no primeiro gol, no brilho do calcanhar de Iniesta no segundo e no toque magistral no terceiro para Neymar sofrer o pênalti. Não podemos esquecer a frieza na patada de Messi no 3 a 0, o domínio do meio campo do polvo Busquets, da determinação de Rafinha e Rakitic, dos quase perfeitos Piqué, Mascherano e Umtiti, salvos por outro pé salvador, o de Ter Stegen, em chute cara a cara de Cavani quando a partida estava 3 a 1. Jamais esqueceremos do brilhante Luis Enrique, que redesenhou o sistema de jogo para esta reação.


Para quem quiser falar de arbitragem, realmente não vi pênalti em Suárez e achei muito duvidoso o carrinho de Mascherano em Di Maria. Porém, não se esqueçam dos pênaltis não marcados no primeiro tempo pelo puxão de Meunier em Neymar e o de Verrati em Messi.


getty images
getty images

Para sempre


Mas além deste jogo ser um marco histórico como a maior remontada da história do futebol europeu, passa a ser também um marco e a consagração definitiva da carreira de Neymar. Que a partir de hoje ele seja visto como deve ser, como o melhor jogador do mundo se Messi não existisse. A passagem do bastão já está em curso e já faz um tempo, vai acontecer naturalmente, ninguém precisa se apressar. Ontem morreu o bizarro termo "Neymídia" e que morra o adjetivo cai-cai, porque Neymar cai, sim, mas sempre se levanta, erra, vai pra cima de novo, acerta, dá caneta e só é parado pelas redes. O talento sempre vence, não adianta ir contra a natureza.


getty images
getty images

Ele sempre acreditou


Voa, Neymar, voa, Barça e seguimos sonhando acordados com este time de heróis que seguirá dando show e barcelonizando em busca de mais um Triplete.


Visca el Barça!