Noite louca do Barça: show, liderança e adeus

A goleada do Barcelona diante do Sporting Gijon já era prevista. O que não esperávamos era sofrer um gol de um adversário tão frágil (já pensando no PSG), o tropeço do ex-líder Real Madrid e muito menos o anúncio do adeus de Luis Enrique.

Contra o Gijón, mais uma vez vimos o Barça com novas rotações, um time mais imprevisível com 3 zagueiros e com a presença de Rafinha flutuando pela direita do campo. Apesar da disparidade com o adversário, fiquei otimista com as chances criadas e com a variedade nas construções dos gols. O time marcou de lançamento longo, de enfiada entre a zaga, de roubada na pressão, de bola parada e de tabelinha curta dentro da área.

Cada membro do tridente fez o seu golaço, Messi e Neymar ainda deram assistências e o brasileiro mostrou que está voando. Excelente também foi o descanso para Piqué, Iniesta, Messi e Suárez (os dois últimos saíram bem antes do fim), para pegar o complicado Celta no sábado. Nada excelente foi o gol sofrido e a facilidade com que o Gijón chegou algumas vezes no ataque. Só de imaginar as arrancadas de Draxler, Di Maria, Lucas e cia no próximo dia 8, fico com a quase certeza de que o esquadrão culé sofrerá muito diante dos franceses. Mas ainda é tempo de corrigir, o futebol do time inegavelmente melhorou com as mudanças táticas e agora praticamente todo elenco está à disposição.


Getty Images
Getty Images


Se o Barcelona precisava se preocupar com seu desempenho, a notícia mais positiva da noite foi mais um tropeço do Real Madrid. Além de perder a liderança dentro de casa, a equipe de Zidane passa a jogar com muito mais pressão.

Para terminar sobre a noite cheia de emoções desta quarta-feira, já fica no ar a tristeza nostálgica pela proximidade da despedida de Luis Enrique, que agora confirmou de vez que não renovará seu contrato para a próxima temporada. Apesar de saber que o Barcelona perderá um ótimo treinador, acho que este é o momento certo. Entre muito mais acertos do que erros, o treinador e ex-jogador do clube já estava dando sinais de desgaste pessoal e com alguns jogadores, devido à chegada de reforços e à necessidade óbvia das rotações. Continuo admirando as iniciativas e convicções de Luis Enrique, que foi tão fantástico quanto Guardiola, de maneira distinta, mas que seguramente já está marcado na história do futebol.

Encerra-se a especulação sobre renovação de Luis Enrique, mas inicia-se a caça ao próximo treinador. Ouço pelas ruas e mídias aqui na Catalunha nomes como: Xavi, Koeman, Sampaoli e Klopp. Os dois primeiros ex-ídolos do clube como Guardiola e Luis Enrique, mas acho que a bola da vez é o do argentino Jorge Sampaoli (compatriota e fã de Lionel Messi), que atualmente faz grande campanha com o Sevilla.

A novela só está começando, ainda iremos falar muito sobre o próximo técnico, mas também sobre os últimos momentos de Luis Enrique e o esperado embate contra o PSG.

Mas, antes, que venha o capítulo de sábado contra o Celta Vigo no Camp Nou!