O Bahia que poucos entendem

Ultimamente tenho me colocado no lado mais racional da coisa, sem clubismo, tratando o Bahia de forma parcial e simples, mas sempre na torcida, gritando, esbravejando e tentando entender o lado do futebol, pois de torcedor eu entendo perfeitamente.


Gazeta Press
Gazeta Press

'Speed' Mendoza tem sido fundamental, mas precisa ser consistente em campo


Eu até estava confiando que Preto Casagrande poderia ser efetivado, mas o meu temor é que ele não aguentaria nem saberia controlar o time numa situação caótica. O Bahia perdeu pro Botafogo em casa quando não poderia e agora enfrentará uma sequência sem muita esperança. Muitos jogadores no departamento médico e o sacrifício de alguns deles no campo nos deixam com a pulga atrás da orelha. Veja uma análise objetiva do time:


Jean - Apesar de ser um bom goleiro, precisa amadurecer. Sabe jogar com os pés, mas peca na saída de bola. Qualquer cruzamente é um Deus nos acuda.
Eduardo - Esse é fraco, mas está segurando até onde pode. Não temos outro lateral direito. Imagina se Eduardo machuca?
Tiago - Já foi melhor. Infantil no carrinho no jogo passado e agora ficará 15 dias no estaleiro. Precisa voltar o Tiago da Copa do Nordeste.
Lucas Fonseca - Lucas tem sido o tapa-buraco da zaga. Faz o feijão com arroz e vai pra casa. Precisamos de mais um zagueiro, pois não podemos confiar nos da base (Rodrigo Becao e Eder).
Juninho Capixaba - A torcida pediu, e ele provou que pode ser titular. Amadureceu como atleta e conseguiu sua vaga. Que pena que se contundiu em sua segunda partida, mas a vaga já está decretada.
Rene Junior - O coracão do time. Sem Renê Júnior, o Bahia perde na marcação e na visão de jogo. Nas roubadas de bola, Renê segue se valorizando.
Edson - Edson não tem sido o Edson que conhecemos. Sua performance caiu drasticamente após sua contusão e precisa de mais jogos pra ganhar confiança, mas sem sombra de dúvidas deixa Matheus Sales e Juninho no banco.
Regis - Parece que a sondagem de outros times fez com que Regis perdesse o foco do time. Os passes errados, a preguiça dentro de campo estão "matando" o relacionamento com a torcida. Sabemos do seu potencial, mas sua cabeça precisa estar focada no Bahia e no time.
Ze Rafael - Se Ze Rafael levantasse a cabeça pra jogar bola, seria um dos destaques do campeonato, sem dúvida. A imaturidade faze ele perder várias jogadas por pura displicência. Tem tudo para ajudar o time, basta ser mais inteligente.
Mendoza - Esse é 8 ou 80. "Speed" Mendoza caiu nos braços da torcida com sua velocidade e os dois gols marcados contra o Vasco. Mas contra o Botafogo ele sumiu. Sem olhar pros lados, a mídia subiu pela cabeca e esqueceu de jogar. Será de suma importância até o final do campeonato, mas precisa deixar a 'fominhagem' de lado.
Rodrigao - Eu nao vejo a hora de Hernane Brocador voltar a balançar as redes. Rodrigão faz o que pode, mas não pode perder gols como vem perdendo. 


Podemos ganhar do Atletico-GO? Claro que sim! E temos time para isso, mas o Bahia precisa continuar a pressionar os times mesmo após o primeiro gol marcado. A mania que já corre de anos luz no clube é essa "preguiça" em campo e achar que já ganhou. Contra o Avaí foi desse jeito, e agora se repetiu contra o Botafogo.


Gazeta Press
Gazeta Press

A torcida do Bahia faz sua parte nas arquibancadas, mas o apoio como socio é imprescindível


A torcida tem que criticar mesmo, mas com cíiticas construtivas, que fazem o Bahia crescer como um clube de verdade. O Bahia é grande e será maior ainda com seu torcedor ao lado.


O clube ainda tem à disposicao um dos melhores estádios do Brasil. A Arena Fonte nova não é um alçapão, mas tem uma enorme energia. Infelizmente não temos como usar dessa energia por completo. Os 110 mil pagantes que estiveram presentes na semifinal em 88 não voltam mais, os tempos são outros. A coisa contagiante que nos levava no meio das multidões está se acabando aos poucos, a telinha vem tomando conta do torcedor. E é exatamente disso que o Bahia precisa: o amor às arquibancadas precisa voltar, mas o torcedor precisa entender que o clube é dele mesmo. A associação em massa precisa acontecer, a torcida precisa acreditar e não ser um mero telespectador, mas sim participar da vida do clube e trazer de volta a alegria do churrasquinho de gato, da gelada no posto, da Kombi do Reggae, do papel picotado, da fumaça vermelha azul e branca e de estar ao lado dos jogadores, e não somente da diretoria.


Esqueçamos tudo que ficou pra trás, O foco agora é o Atletico-GO e precisamos vencer ou vencer. Sigamos em frente!


#ContraTudoContraTodos


#BBMP