O Bahia segue enganando seu torcedor

Eu costumo assistir dois jogos seguidos pra poder fazer algum comentario sobre o meu time do coração. Após o triunfo diante do Atlético-MG essa semana, nao quiz comentar muito pois sabia que o jogo contra o Santos seria dificílimo. Dito e feito.


As mensagens que chegavam pra mim após o jogo contra o Atlético era de esperanca. "Douglas, voce tem um prato cheio pra falar do Bahia no seu texto agora...", ou, "Fale bem de Juninho...". Eu poderia ate comentar algo, mas eu sei que o Bahia dá um susto em nós torcedores e é uma incógnita em campo. Jorginho mudou completamente o time contra o Santos e parecia que alguma coisa errada estava para acontecer. A insistência em manter o "chinelinho" do Vinicius era teimosia. O Bahia foi de salto alto para o Pacaembu achando que poderia simplesmente fazer 2 gols como fez no Atlético no meio da semana.


Gazeta Press
Gazeta Press

Vinícius corre pouco e peca na na visão de jogo. Régis não pode ficar de fora.


Esqueceram de avisar que do outro lado estaria o terceiro colocado do campeonato e comandado por Levir Culpi. A transição das jogadas santista era de tirar o chapéu. Bem composto com seu meio de campo e usando sua lateral veloz, achou a brecha no time do Bahia: as laterais. Eduardo fez sua pior partida do ano, comprometeu os dois primeiros gols e viu as redes sociais o condenarem. Primeiro, na falha de marcação após o rebote que o goleiro Jean concedera a Bruno Henrique, Eduardo olhou e nada fez. Já no segundo gol, quis enfrentar Lucas Lima e ficou pra tras. 


É por isso e por muitos motivos que eu comecei a comentar jogos quando o Bahia tinha uma sequencia a ser mostrada. O Bahia venceu a Ponte fora de casa, mas empatou em casa com Avai. Venceu o Atlético fora, mas foi dominado pelo Santos. Não há sequencia, mas a culpa de tudo isso, ao meu ver, é de Jorginho. Com Régis no banco e Vinicius achando que é Cristiano Ronaldo, o Bahia perdia muito no meio campo.


Rene Junior, gigante como sempre, fazia o que podia. Juninho não fez a mesma partida como diante do Galo, e ainda por cima, João Paulo nao conseguia furar a zaga do Peixe. Mendoza entrou e o Bahia comecou a esboçar algo melhor, com mais velocidade. 


Gazeta Press
Gazeta Press

Torcedor comparece ao Pacaembu, mas o time não os ajudou.



Enfim, agora é levantar a cabeca, enfrentar o Xicote semana que vem e manter a freguesia. Precisamos passar temor às equipes que chegam em Salvador, principalmente times que brigam na parte de cima. O Bahia tem um bom time e elenco, não contando as laterais, mas precisa ter sequência e com o mesmo time, pois não há espaco pra testes. Vamos que vamos, a luta continua.


BBMP