Guto Ferreira 1 x 2 Vitoria - A teimosia continua e nada será resolvido

Parece brincadeira, mas não é. O Bahia foi derrotado pelo Vitória em seus domínios, perdendo a invencibilidade de 9 meses (17 jogos) na Arena Fonte Nova.


O elenco perdeu 3 peças importantes para a partida. Jean com amigdalite e Jackson contundido não eram novidade, mas sabíamos que teria algum efeito num clássico como esse. Edson, de última hora, sentiu o pé direito e foi vetado para a partida, uma bomba para a torcida que queria ver o que Guto era capaz de fazer com um suposto time titular.

Guto escolheu colocar Renê Junior em seu lugar - esse BaVi era pra Matheus Sales ao meu ver, pois o jogo seria corrido. E isso foi exatamente o que aconteceu. Jogo corrido pelas laterais e, pela avenida "Eduardo Passa Tudo", o Vitória soube adiantar a marcação e usar seus laterais apoiando Farias e Welison pelo meio, isolando as jogadas de Regis no meio campo.


Gazeta Press
Gazeta Press

Regis, o criador das jogadas do Bahia foi sacado por Guto Ferreira pra entrada de Ze Rafael. Sem efeito.


Hernane, mais uma vez, um cone, voltando demais pra buscar a bola, deixava um vazio na frente, fazendo Edigar Junio jogar triplicado, e eu com medo do caboclo machucar de novo. Jogo truncado no meio, faltas pros dois lados, MMA na Arena logo de inicio e eu já sabia que o pau iria quebrar. Sentindo falta de Jackson na zaga, Thiago fez o que pode, pois Eder ficava sempre pra trás nas jogadas de David pelo Vitória. Souberam usar o espaço e no final do primeiro tempo fizeram 2 gols em 4 minutos. Aí o balde de água fria pro segundo tempo já era de se esperar. Pra reverter um placar desse num BaVi, seria quase impossível.

Guto precisava fazer alguma coisa, mas a teimosia voltava ao gramado mais uma vez. O Bahia pressionou, mas Guto recuava. O Bahia avançava, mas Guto afrouxava. Com Maikon Leite, Gustavo e Diego Rosa no banco, Hernane não fazia seu papel de brocador e pensei que Guto iria tirá-lo pra deixar Gustavo e Edigar Junio na frente, mas a sina voltava. Guto me fez a prosa de tirar Edigar Junio que vinha bem, me coloca Gustavo ao lado de Hernane, tira Regis, o criador da meia cancha, que saiu chateado pra colocar Zé Rafael, - muita gente no Twitter achava que ele faria o mesmo papel.


Desestruturado e sem saber o que fazer, jogando com um a menos depois da expulsão de Thiago, o Bahia não soube mais criar e foi pro tudo ou nada, no afoba, na raça, mas Guto não queria. Resultado final, e na normalidade.

E adianta agora culpar jogadores? Que nada! Guto Ferreira é teimoso e isso precisa acabar. São dois jogos contra times de Serie A e B e duas derrotas. O Bahia precisa levar essa Copa do Nordeste e, pra isso, precisa jogar triplicado contra o Vitória no Barradão no próximo domingo. Não sei o que falar mais de Guto, mas tá parecendo que a diretoria esta com medo de sacá-lo. Se continuar assim, com esse jeito de armar o time, vem coisa pior por ai.

O Bahia precisa se impor agora contra o Fluminense de Feira, ajeitar o time, tentar a volta de Jean e Jackson, pois desse jeito não pode ficar. Creio que, se Jean, Jackson e Edson estivesse em campo, a história seria outra. Mas nada de chorar agora, nada está acabado! Vamos pra cima, precisamos levantar a cabeça e seguir em frente. Só espero que essa derrota não abale os jogadores pros próximos dois BaVis que vêm ai.


BBMP