Avaí: o que esperar do 'líder do returno' em setembro?

Nessa onda de “cada jogo é uma final”, podemos dizer que cada turno é um campeonato, certo? Quase que apertura e clausura argentina. Sendo assim, somos líderes do segunto turno. Se você me acompanha por este blog, sabe que já cansei de citar a importância dessa arrancada do Avaí no recomeço do campeonato. Sete pontos conquistados de nove disputados foram um número bom, todavia a missão se complica em setembro.


Depois da folga de duas semanas, o campeonato volta. Tenho medo de as coisas acontecerem no tranco. Descanso sempre é bom, mas, quando a fase tá boa, queremos matar essa ansiedade de sair do Z-4 de uma vez por todas. De qualquer forma, não vai ter como escolher resultados ou adversários. Enfrentamos, respectivamente, Sport (fora), Atlético Mineiro (casa) e Flamengo (fora).


Contra essas mesmas equipes, no primeiro turno, somamos quatro pontos. Seria muito acreditar em sete pontos? Na atual fase, não. No entanto, nossos adversários mudaram. Contra o Sport, na Ressacada, vencemos com certa tranquilidade. Luxemburgo estava estreando e Diego Souza se exaltou pela convocação e entrou em “economia de energia”, deixando a desejar. Desta vez, o confronto é em Recife, o que dificulta. Ao nosso lado, o retrospecto negativo do Leão nordestino, que somou dois pontos nos últimos cinco jogos.


Gazeta Press
Gazeta Press

Noção do tempo: no primeiro turno, Damião ainda estava no Flamengo


Na partida de ida contra o Atlético Mineiro, algo curioso aconteceu. Era o começo da negociação de Denilson, que até então era o artilheiro do Avaí na temporada. Perdemos jogando bem, lá em Minas. Felizmente, receberemos um Galo que está “cambaleando”, na Ressacada, às 11 horas da manhã de um domingo. Será o ponto alto do mês, quando nós poderemos lotar o estádio e empurrar o Leão.


Por fim, a partida mais difícil: o Flamengo de Rueda. Quando eles nos visitaram, demos um show na arquibancada e mostramos muita raça em campo. Apesar do empate, foi uma das melhores partidas do Avaí em 2017. A chave para fazer um bom jogo contra o rubro-negro, fora de casa, é contar com a equipe principal. Suspensões ou lesão podem nos prejudicar. Esse jogo será o fechamento de um mês que pode marcar nossa ascensão e “libertação” da zona de rebaixamento de uma vez por todas.