No começo do returno, Avaí joga pelos 9 pontos mais importantes do campeonato

Segundo turno do Brasileirão é um ciclo novo, símbolo de recomeço para muitas equipes. O Avaí é uma delas. Contra o Vitória, recomeçamos nossa luta para permanecer na Série A. Para se ter uma ideia, os três primeiros jogos representam a disputa de nove pontos diretos contra os adversários da parte de baixo da tabela: Vitória, São Paulo e Chapecoense.


Para nossa alegria, o returno começou bem. Vencemos o Vitória, fora de casa, e somamos os primeiros pontos desta sequência importante. Apesar do resultado, o jogo foi uma montanha russa, ora emocionante, ora deprimente.


No primeiro tempo, o Avaí teve posse de bola, mas não soube criar oportunidades. Aliás, não consegue criar. Isso não é novidade por aqui. Eu fico indignado com certas jogadas, tipo quando Leandro Silva puxa pela direita, tabela com alguém que sai da meia e acredita que alguma entidade superior vai descer (ou subir, não sei) para dominar as tijoladas que eles mandam para o ataque.


Outra indignação foi senhor comentarista do Premiere dizendo que a mão na bola do zagueiro do Vitória “foi normal, pois a jogada não apresentava risco”. Meu querido, mão na bola, daquela proporção, foi duas vezes pênalti. Não marcou, seguiu o jogo. Pouco depois, Dutra, mais gelado que vento sul, marcou o gol da vitória. Quando esse tipo de fato acontece, eu sempre penso: “ninguém tira a vitória do Avaí.”


Eduardo Valente/Gazeta Press
Eduardo Valente/Gazeta Press

Claudinei colocou o cargo à disposição, na semana passada; Clube e jogadores o bancaram e o primeiro resultado positivo apareceu


Sintoma da vitória? A boa atuação do goleiro Douglas. Quando ele tá inspirado, não tem bola que passa. Ele cometeu um pênalti por inexperiência, no primeiro tempo. Ele errou ao levantar a perna na saída para defesa e acabou acertando um adversário. Neilton, cheio de conversa mole, isolou. Apavorou-se diante de Douglas. Em uma segunda oportunidade, no “cara a cara”, parou em uma defesa espetacular. Em uma terceira, mandou para fora. Douglas se agigantou sobre os atacantes do Vitória.


Por fim, quero lembrar que o discurso da semana foi “cada jogo é uma final”. Admito que não cola mais. Todavia, aos trancos, o time sacou três pontos e volta para Floripa para somar mais seis dos mais importantes pontos do campeonato.