Figueirense e Avaí: último clássico do ano pode marcar nova ascensão do Leão

Semana passada, comentei por aqui que, tanto o mando de campo nas finais como rebaixados do Catarinense seriam decididos na última rodada. Engano parcial, apenas últimos colocados jogam para tentar se salvar, o resto está consumado. A Chape venceu o segundo turno e disparou na classificação geral. Com isso, os dois jogos das finais serão disputados, primeiro na Ressacada, depois na Arena Condá. O pessoal do Oeste ainda vai ter uma vantagem: em caso de empate no resultado agregado, eles levam a taça.


A situação deixou de ser favorável ao Avaí. Calendário também não vai ajudar. Não bastasse a ansiedade para as finais, ainda temos o último clássico do ano, na quinta-feira, contra o Figueirense, pela Primeira Liga. Depois, ainda tem uma partida com o Inter de Lages, que provavelmente será disputado pelo time reserva.


Semana que vem falaremos mais sobre Chapecoense e a tal final. Por enquanto, precisamos pensar que o clássico de quinta é a chance de dar moral a uma equipe desanimada.


Pela Primeira Liga, o Avaí jogou com equipe mista as duas primeiras partidas. Foram duas derrotas que, na época, nem ligávamos, já que o foco era força no estadual. Agora, só para cumprir tabela, temos a difícil tarefa de vencer o Figueirense, lá no continente.


Figueirense FC
Figueirense FC

Na quinta-feira, vamos acabar com a invencibilidade que Márcio Goiano tem sobre o Avaí


Sim, difícil. Com base nos dois primeiros clássicos, dois empates por zero a zero, teremos outro jogo difícil, já que não podemos correr o risco de sofrer lesões. Entrar com time misto ou reserva seria terrível, afinal, é o último clássico do ano. Se o Figueira vence deusolivre, a zoeira estará implantada até o Catarinense 2018.


Por outro lado, estamos ansiosos em ver algo a mais do Avaí. Tivemos um início de temporada excelente e ascendente. Agora, aparentemente, a equipe chegou ao seu limite de criatividade e segue jogando por uma bola, uma falha adversária. Não gosto de ficar detonando atletas que não têm bom desempenho, mas tirando os dois volantes, o meio campo não produz nada.


Isso é o que quero acreditar, o que espero com o coração. No entando, a verdade, provavelmente, vai ser o Figueira com sangue nos olhos e afobado, assim como na última partida, e o Avaí, mais uma vez, defendendo-se e esperando por uma bola decisiva. 


Na atual situação, sair da batalha sem lesionados e com 0 a 0 não seria tão ruim assim, mas quero muito ver Márcio Goiano perdendo a invencibilidade para a Azurra.