Nem o calor para o Avaí

Durante a semana, o meia Marquinhos falou, em entrevista, que jogo às 10h é ruim para o atleta, mas a torcida aproveita a festa e faz um churrasco com amigos e família. Não consigo nem pensar em churrasco depois de ver os jogadores assando em campo. Avaí e Brusque disputaram a partida sob calor de 32 graus de Florianópolis - fora a sensação de quase 40 dentro de campo.


Quatro reservas começaram jogando e não deixaram a desejar: João Paulo no lugar de Capa, na lateral esquerda; Gustavo Santos na direita. Ferdinando substituiu o volante Luan e Júnior Dutra fez as vezes de Diego Jardel.


Gil Guzzo/Gazeta Press
Gil Guzzo/Gazeta Press

Denilson, artilheiro do Catarinense, tem 5 gols em 5 jogos


O Avaí tem menos posse de bola que os adversários em todos os jogos até aqui, mas nessa partida a Azurra manteve o controle e ditou o ritmo. Brusque, segundo colocado no campeonato, não conseguia jogar. Além de errar muitos passes, chegou ao gol adversário apenas uma vez. Nas bolas paradas, o Leão ameaçava bastante, porém foi em um contra-ataque que marcou o primeiro gol, aos 47 do primeiro tempo. Júnior Dutra puxou a corrida pela esquerda e, na linha de fundo, tocou para Denilson, na pequena área, que abriu o placar.


No segundo tempo, aos 14 minutos, Brusque empatou com Belusso, também em contra-ataque. A proposta avaiana era aproveitar os espaços abertos na defesa adversária e tentar matar o jogo. Desta forma, Marquinhos, duas vezes, acertou a trave. No mesmo ritmo, Júnior Dutra aproveitou um rebote e marcou o segundo, aos 23.


Daí pra frente, ninguém aguentava o calor e o jogo foi acabando aos poucos.


Avaí está a uma vitória do título do primeiro turno do Catarinense e enfrenta o Figueirense, na Ressacada, na noite de quarta-feira.