3 fatos para entender a vitória sobre o Metropolitano

Na partida entre Avaí e Metropolitano, válida pela segunda rodada do Catarinense, deparei-me com um Avaí que não havia visto em 2017. Um grupo bem desenhado taticamente e muito seguro com a bola nos pés. A vitória por dois a zero estava quase certa, mas aos 41 do segundo tempo o time de Blumenau diminuiu. O lance adversário foi bonito, mas não posso deixar de falar de quão bem o Leão jogou.


Quero trazer aqui, tanto para o torcedor que foi ao jogo, assistiu pela TV ou aqueles mais desligados, alguns pontos importantes para entender o que aconteceu dentro de campo.


"4-1-4-1" 


A tática do técnico Claudinei Oliveira foi muito bem praticada dentro de campo. Aliás, ao contrário do mistão que tem jogado a Primeira Liga, a equipe que jogou quinta-feira entrou com apenas dois "reservas": Kozlinski no gol e Alemão na zaga, substituindo Gustavo (em tratamento de um cisto na perna, ainda sem previsão de retorno). O desenho funcionou os 90 minutos, porém o Metropolitano soube aproveitar a distração avaiana para marcar.


Diego Jardel e Leandro Silva, ambos jogando pelo lado direito do campo, foram dois nomes marcantes para o resultado final. Os dois gols saíram de jogadas por aquele lado. Nesse esquema do Claudinei, as laterais foram as vias de melhor produção ofensiva do Leão.


Fernando Remor/GazetaPress
Fernando Remor/GazetaPress

Leandro Silva (esq) levando o Avaí ao ataque pela direita


Kozlinski, nunca critiquei


Brincadeiras à parte, o torcedor não esconde a saudade do goleiro Renan. Dos quatro jogos que o Avaí no ano, Douglas Friedrich jogou apenas um (e levou um gol), já Maurício Kozlinski participou dos demais e sofreu três gols. Todavia, não há o que criticar nas três últimas atuações dos goleiros avaianos. O tempo chuvoso colocou os dois arqueiros à prova, e se saíram bem dentro do possível.


No tópico acima citei Kozlinski como reserva. Era assim que eu pensava até a coletiva, quando o treinador reforçou a titularidade de Maurício.


Denilson, artilheiro


Denilson, 21 anos, chegou ao Avaí em 2017. O atacante começou a partida pela esquerda, sendo o quarto jogador da linha de 4 do meio campo. Ele é muito forte e rápido. Ele participou de três dos quatro jogos já disputados e marcou três gols. Aliás, marcou todos os gols do Leão até agora.


Nesse jogo contra o Metropolitano, os dois gols começaram em jogadas pela lateral direita (como já comentei acima). Na primeiro, Diego Jardel venceu uma disputa de bola e cruzou rasteiro. O goleiro adversário saiu mal e sobrou para Denilson completar.


No segundo tempo, a equipe assumiu uma postura mais defensiva, até compreensível tendo em vista o jogo sob controle. Alguns contra-ataques pelos lados levaram perigo à meta do Metropolitano, mas foi em uma bola bem trabalhada que saiu o segundo gol. Depois de troca de passes, Leandro Silva (lateral direito) cruzou com precisão, Denilson subiu mais alto e cabeceou para ampliar o marcador. 


Nação avaiana, temos muitos motivos para nos empolgarmos com a campanha da Azurra nesse estadual!


Claudinei terá boas opções ofensivas para definir uma equipe principal no decorrer do Catarinense. Domingo, o Avaí viaja para enfrentar o Tubarão. Na quarta, dia 8, o adversário é a Chapecoense, na Ressacada.