Paraná x Atlético-PR: a história se repete

ro·ti·na
(francês routine, de route, caminho)
substantivo feminino
1. Caminho já trilhado ou sabido. 
2. Prática constante, em geral. 
3. Hábito de fazer uma coisa sempre do mesmo modo.


Mais uma vez.


O Paraná Clube iniciou a temporada 2017 definitivamente voando no Campeonato Paranaense. Um time que se entrosou rapidamente, tendo um ótimo equilíbrio entre ataque e defesa. Wagner Lopes extraindo o máximo de cada jogador e uma equipe que encantava o torcedor. 


Torcedor esse que, com a habitual mania de grandeza, riu pelos cotovelos com a vitória de 1 a 0 sobre o Atlético-PR no dia 30 de março, como se o torneio estadual representasse o que há de mais importante. Mas, enfim, não poderia ser diferente, e por isso se chama rivalidade.


Hoje, o Furacão segurou um empate em 0 a 0 na Vila Capanema, se beneficiando de um resultado positivo no confronto de ida. O Paraná foi eliminado novamente pelo Atlético. E, como já foi repetido várias vezes aqui, o torneio em si pouco vale, e a verdadeira graça dele são os clássicos. E é muito bom colocar as coisas em seu devido lugar.


Site Oficial do Atlético Paranaense
Site Oficial do Atlético Paranaense

Eduardo da Silva atuou como titular mais uma vez


No jogo de hoje, o Furacão não teve Otávio, lesionado, e Jonathan, poupado. Para suas vagas, entraram Deivid e José Ivaldo, respectivamente. No primeiro tempo, mesmo com domínio de campo, o Paraná Clube pouco assustou, esbarrando em um organizado Atlético que, quando decide que não quer sofrer gols, raramente não cumpre com o objetivo. 


Com o passar do tempo, o Furacão estabeleceu equilíbrio em posse de bola, freando a dominância do adversário e trabalhando melhor a bola no campo ofensivo. Na etapa inicial, as chances se limitaram a Renatinho, em chute cruzado, e Felipe Alves, em cabeçada. 


O Atlético foi consolidando uma maior presença no setor ofensivo no início da etapa complementar. E criou com Gedoz, em cobrança de falta perigosa, e Nikão, que foi para as redes, mas teve seu gol anulado. 


Site Oficial do Atlético Paranaense
Site Oficial do Atlético Paranaense

Weverton foi pouco exigido na partida


O Paraná voltou a assumir controle a partir da segunda metade e carimbou a trave com Alex Santana. Entretanto, havia uma repetição na estrutura ofensiva do rival. A crítica, que já foi feita ao Atlético em outros momentos, vale para a essa análise também, visto que o time da Vila Capanema esbarrava numa defesa bem arrumada e não conseguia apresentar repertório. 


Logo após o apito final, houve uma briga feia no gramado. Entretanto, o melhor a fazer é minimizar esse tipo de "espetáculo". Porém, deixaremos um parênteses para Douglas Coutinho, que pela primeira participou ativamente de algo desde que voltou ao Furacão, sendo o protagonista de toda a confusão. 


Por fim, um jogo que exigiu pouco do Atlético, mostrando um boa organização em busca do resultado, mas ainda mantendo a usual preocupação com a questão de assumir um pouco mais de controle do jogo, mesmo que esse não fosse decisivo para a sequência da temporada. E, para os rivais, um exercício de humildade.