#ChoraMenosJogaMais: Galo, 44 vezes o dono de Minas

Bruno Cantini/ Atlético
Bruno Cantini/ Atlético


2 a 1, fora o nó tático de Roger sobre o técnico adversário. 44 canecos do torneio regional guarnados na prateleira, onde aquecemos os motores para as competições nacionais e internacionais, mas também onde mostramos quem é que manda nas Gerais. Tá lá o pôster mostrando ao lateral esquerdo celeste quem é quem no futebol mineiro.


Bruno Cantini/ Atlético
Bruno Cantini/ Atlético


Era para ter sido 3, caso não tivessem anulado equivocadamente o segundo gol de Robinho. Era para ter sido 4 ou 5, se Cazares não tivesse perdido duas oportunidades de ouro, compensadas no passe açucarado para o gol de Elias. Foi na bola e na raça. Honestamente, tão tranquilo como costuma ser quando enfrentamos o nosso rival em jogos decisivos, quando estão valendo. Há mais de três anos não sabemos o que é ser derrotado pelo Cruzeiro em finais de campeonato. Esse é o jejum que importa.



“A arbitragem foi dolorosa e conduziu situações do jogo o tempo inteiro. Não aplicou cartões amarelos claros, e nós sabemos por que não aplicou, né?! Por que eram jogadores que estavam com dois amarelos e iriam ficar fora no jogo de volta como foi o caso visível do Marcos Rocha. Deveria ter sido expulso o Gabriel, era um lance claro em direção ao gol. Então contemporizou. Aliás, tivemos também um lance duvidoso de penalidade máxima no primeiro tempo. Se o pessoal do “Globo.com” não tiver lá, a gente tem e fornece para colocar no compacto dos lances polêmicos. Têm uns lances que a gente não acha no compacto, nós temos para ajudar.” (Mano Menezes, em entrevista coletiva após o jogo de ida da final do Campeonato Mineiro de 2017)



Onde está agora o treinador rival que, falando pelos cotovelos, apontava favorecimentos ilícitos em favor do Atlético no jogo de ida da final? Todos os analistas de arbitragem mostraram o quanto o técnico estava equivocado. Onde está a diretoria rival acusando a Federação Mineira de Futebol de pender para o lado alvinegro? Foi um gol cruzeirense o anulado na tarde de domingo? #ChoraMenosJogaMais, freguesia.


Em algum momento, esse tipo de comportamento execrável dos profissionais e dirigentes de futebol precisará parar. Essa pressão desleal, colocando a torcida contra dirigentes da federação para aterrorizá-los, induzindo a arbitragem para que, em caso de dúvida, pendam para o Cruzeiro, são atitudes antiesportivas e que emporcalham o futebol. Até quando?


Bruno Cantini/ Atlético
Bruno Cantini/ Atlético

Só vejo torcedores...


Ainda bem que os erros contra o time de Robinho e Elias não pesaram no resultado final. A vitória, mesmo que faltando um 3˚ gol legítimo, coroa o bom momento vivido por Roger neste início de caminhada, já campeã. A torcida deu um show. Aquela que estava nas arquibancadas e a que estava em campo. Porque, aqueles 22 que estavam dentro ou próximo ao gramado, para mim, eram atleticanos desde criancinhas.


Quando tá valendo, tá valendo, já diria o maior camisa 10 do século 21.


Bruno Cantini/ Atlético
Bruno Cantini/ Atlético

Uma imagem, um jogador e sua nação