A concentração separa o Galo de novos títulos

Thomas Santos / Gazeta Press
Thomas Santos / Gazeta Press


A vitória atleticana sobre a Pantera de Governador Valadares foi em ritmo de carnaval: displicente como em desfile de campeãs na Sapucaí, alegrinha como se deve estar no Reino de Momo.


Roger escalou sua força máxima e para lá rumou o time que estreará daqui 10 dias na fase de grupos da Libertadores. Sem Leonardo Silva, que cumpre o protocolo de segurança a fim de evitar lesões por desgaste, o Galo foi de Giovanni; Marcos Rocha, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca; Elias, Danilo (Maicosuel), Otero (Rafael Moura) e Robinho (Cazares); Fred. Dois gols do pai Fred e um do He-Man. Aliás, o segundo gol do artilheiro do Campeonato Mineiro foi uma beleza só, digno de paradinha e funk da bateria no recuo.


Não seria de se espantar a vitória alvinegra da capital ante os donos da casa. Impressionantemente, até o América venceu em Valadares. O Democrata amarga a antepenúltima colocação na tabela com 3 pontos, enquanto o Galo é o líder isolado e invicto, com 15. O que nos faz chamar atenção é para o fato de termos levado 2 gols na partida, ambos no segundo tempo. O primeiro, inclusive, chegou a empatar o jogo.


Das competências menos faladas nos botecos sobre esportes de alto rendimento, o treinamento mental e a capacidade de concentração são duas das mais importantes ferramentas para a conquista dos resultados. E frequentemente vemos, em momentos “modorrentos” da partida, os jogadores chegando menos firmes e dando toquinhos desnecessários. Daí, você já viu: o adversário toma a bola e pega a defesa desarrumada. Foi assim no Mamudão. Não pode ser assim na temporada.


Competências técnicas, o Galo tem de sobra, tanto na comissão técnica quanto no elenco. Para fazermos valer tamanho poderio, precisaremos está também com a cabeça treinada. Foco 105 minutos! Acredito que Roger esteja atento a tudo. O futebol moderno está!