Galo: quando jogar com o time titular?

Sexta-feira de carnaval, semana sem jogo do Galo e a proximidade da estreia do maior de Minas na competição mais celebrada no continente faz o caboclo elocubrar pesado: seria o caso do Roger colocar o time reserva contra o Democrata de Governador Valadares nesse sábado, no Mamudão? Ele mesmo responde com a lista de jogadores convocados para a partida em plena festa de Momo: não! À exceção de Léo Silva, por precaução, Atlético irá com força máxima para Valadares. Festa da torcida atleticana local.


Bruno Cantini/ Atlético
Bruno Cantini/ Atlético

Vai dar o colete pra quem, professor?


No treinamento que antecedeu a viagem da equipe, o time titular foi Giovanni; Marcos Rocha, Felipe Santana, Gabriel e Fábio Santos; Rafael Carioca, Elias, Danilo, Otero e Robinho; Fred.


Um time que conta com um elenco recheado de peças de primeira linha, como o Galo tem, pode muito bem alternar a equipe principal com os suplentes (que seriam titular em qualquer outro clube). Por muitos motivos. E destaco três: 1. não apenas por traumas (pancadas), as lesões osteoarticulares e musculares acontecem também pelo excesso de jogos (overtraining). Não custa lembrar do início do Campeonato Brasileiro do ano passado e do número exagerado de jogadores no DM; 2. a assimilação do modelo de jogo proposto por Roger Machado precisa acontecer não apenas pelos atletas das camisas 1 à 11. As lesões e suspensões comuns ao esporte obrigam a alternância dos jogadores em campo. Por isso, dar quilometragem de jogo real para a galera do banco é também fortalecer a proposta tática dessa temporada (um 4-5-1 em todas as suas variações). Marcelo Oliveira demorou muito tempo para fazer seu time engrenar; 3. o gramado do Mamudão não está lá aquele tapete. Daí, você sabe: “cachorro mordido por cobra…”


Roger entende do riscado. Mas não me furto ao palpite. Eu iria de Uilson; Carlos César, Felipe Santana, Jesiel e Leonam; Ralph, Yago, Danilo, Robinho (para pegar ritmo) e Maicosuel; Clayton e Rafael Moura. E ainda mandava o Giacomini para conduzir o time, deixando a outra galera com o Roger em BH, ajustando os detalhes. E deixava o jogo de Chapecó, da próxima quarta-feira, pela Primeira Liga, como esquenta para o jogo contra o Godoy Cruz em Mendoza-ARG.


Uma vez que já está tudo definido e a turma já rumou para a quente e plana Valadares, nos cabe torcer. Que a comissão técnica encontre a melhor dosagem de estímulo X recuperação pra nossa galera. 2016 precisa ficar para trás de vez. Sem desequilíbrio técnico, tático, musculoesquelético ou fisiológico. Rumo às conquistas, Galo! Eu acredito.