Iporá 0 x 1 Atlético-GO: primeira vitória, filme ruim

Divulgação/Atlético Goianiense
Divulgação/Atlético Goianiense

Alípio comemora o gol que garantiu a primeira vitória do Dragão no ano.


Na tarde desta última quarta-feira, o time do Atlético Goianiense tirou o peso das três últimas derrotas sofridas e, principalmente, da ausência de gols nessas mesmas partidas. Apesar de ter somados os três primeiros pontos no Goianão, o desempenho da equipe foi muito abaixo do que foi apresentado contra o Vila Nova. Jogando contra o time do Iporá, recém-chegado à primeira divisão do campeonato estadual, a equipe rubro-negra venceu a partida pelo magro placar de 1x0.

Mesmo que o estadual seja visto pelo comando atleticano como um experimento para a disputa do Brasileirão 2017, não podemos nos enganar pelo resultado. Ainda que com uma visível diferença de currículo e habilidade entre as equipes, o Atlético continuou apresentando os mesmos problemas de antes. Pouca efetividade no ataque e uma dificuldade enorme na construção de jogadas pela parte central do campo.

Nesse novo “filme ruim”, os atores de destaque permaneceram os mesmos. O lateral-direito Daniel Borges se portou com bastante disposição, chegando a ser liberado para atuar apenas ofensivamente na segunda etapa do jogo. Mais uma vez, tivemos uma participação intensa do meia Willians. Contudo, a evidente falta de entrosamento e objetividade dificultaram a vida do atacante Júnior Viçosa, que teve uma atuação bastante discreta em toda a partida.

Vivendo situação adversa, restou ao time do Atlético se valer da bola parada para assim conquistar a vitória. Em cobrança de falta na entrada da grande área, o meio-campista estreante Alípio, que entrou no lugar do contundido Luiz Felipe, fez o único gol da partida. Essa pode ser uma boa opção para o time atleticano, já que a equipe não conta com esse tipo de recurso na temporada passada.

Em direção contrária, Bonfim, zagueiro que também estreava na condição de titular, não apresentou um bom rendimento, sendo vencido pelos atacantes do Iporá em situações que colocaram em risco a vitória atleticana no Estádio Ferreirão. Sendo assim, o técnico Marcelo Cabo acaba tendo um sério problema para resolver: quem efetivamente fará a composição da dupla de zaga ao lado do capitão Roger Carvalho?

Mesmo com a vitória, a oscilação de desempenho e a falta de produtividade do setor ofensivo – que jogou os quinze minutos finais da partida com um homem a mais – acendem um sinal de alerta para o comando técnico atleticano. No próximo domingo, dia 05/02, já temos um novo clássico, contra a equipe do Goiás. No desenrolar do tempo, o time do Atlético deve ter clareza de quem serão os protagonistas e coadjuvantes para a temporada que se inicia. Caso contrário, a torcida terá de conviver com um roteiro dramático ao longo desse ano.