Estudo revela: Atlético de Madrid é o clube mais eficiente da Europa

Nos últimos cinco anos, o Atlético de Madrid dobrou sua receita e diminuiu para quase metade a diferença para Barcelona e Real Madrid.


Isto é o que mostra em detalhes o estudo “Competing with Europe’s Giants: The Atletico Madrid Case Study (“Competindo com Gigantes da Europa: O Estudo do Caso Atlético de Madrid”, em tradução para português).


Divulgado no último mês de maio, a pesquisa foi realizada pela Sports Business Institute Barcelona, em parceria com o consultor de marketing e gestão esportiva, Amir Somoggi.


O estudo revela que o técnico Diego Simeone encontrou o Atlético de Madrid com receitas quase cinco vezes menores que as de seus dois principais rivais do futebol espanhol, Real Madrid e Barcelona.


Na temporada 2011-12, a primeira sob o comando de Cholo, o clube colchonero teve receitas operacionais de apenas 108 milhões de euros, enquanto o Real Madrid gerou 513 milhões de euros e o Barcelona 483 milhões de euros.


Passaram-se cinco anos e o Atlético encurtou bastante a diferença, operando com 229 milhões de euros em 2016. O crescimento ano após ano pode ser observado na tabela abaixo:  


Sports Business Institute Barcelona
Sports Business Institute Barcelona

Receitas do Atlético de Madrid cresceram de 108 para 229 milhões de euros em apenas cinco anos

“Nesta década, o Atlético consolidou-se como o terceiro principal clube da Espanha, recuperando o posto de times como Deportivo La Coruña, Valencia e Sevilla, que alternaram-se neste patamar entres os anos 90 e 2000”, analisa Amir Somoggi em entrevista para o Canto Colchonero.


SALÁRIOS


A folha salarial do Atlético de Madrid, à época da chegada de Diego Simeone, era de apenas 73 milhões de euros, enquanto o Real Madrid gastava 236 milhões de euros e o Barcelona 237 milhões de euros com jogadores. Cinco anos depois, o Atlético dobrou sua folha de pagamento (137 milhões de euros).


Sports Business Institute Barcelona
Sports Business Institute Barcelona

A folha salarial do Atlético de Madrid cresceu 64 milhões de euros de 2012 para 2016

Sports Business Institute Barcelona
Sports Business Institute Barcelona

Finalista da UEFA Champions Leaue 2015-16, o Atlético de Madrid apresentou somente a 11a. folha salarial do futebol europeu naquela temporada

 
Apesar da inferioridade nos números financeiros em relação a seus principais concorrentes do futebol europeu, o Atlético de Madrid conquistou títulos importantes como a Liga Europa em 2012, a Supercopa Europeia em 2012, a Copa do Rey em 2013, o Campeonato Espanhol em 2014 e a Supercopa Espanhola em 2014.


Além disso, o clube atingiu as semi-finais da UEFA Champions League em três das últimas quatro temporadas, chegando a final duas vezes. Este sucesso dentro de campo campo foi determinante para o Atlético crescer suas receitas nos últimos anos. 


“Hoje o Atlético de Madrid é disparado o clube mais eficiente da Europa", destaca Amir. 


TRANSFERÊNCIAS


De acordo com o estudo, uma das maneiras pelas quais o Atlético de Madrid consegue equilibrar suas finanças é através do desenvolvimento de jogadores da base dentro de sua academia de jovens. Além disso, o clube está ativamente envolvido no mercado internacional de transferências.


“O Atlético de Madrid é muito parecido com os clubes portugueses, Benfica e Porto, pois é bastante respeitado pela formação de atletas. Os jogadores são testados no cenário europeu e assim os gigantes do futebol europeu têm um parâmetro adequado na hora de investir nestes atletas", explica. 


O Atlético de Madrid gerou 201 milhões de euros em transferências de jogadores nos últimos sete anos, o que incontestavelmente ajudou o clube a compor seu orçamento para competir neste mercado extremamente competitivo.


Sports Business Institute Barcelona
Sports Business Institute Barcelona

Em 2016, o Atlético de Madrid embolsou 44 milhões de euros com transferências de jogadores, 20% do total da receita do clube

DÍVIDAS


O estudo mostra que mesmo com o crescimento econômico nos últimos anos, a situação financeira do Atlético de Madrid não são só flores. Pelo contrário. 


O Atlético de Madrid tem dívidas muito altas. Os passivos financeiros atingiram 290 milhões de euros em 2016. Na temporada passada, o clube pagou 25 milhões de euros em financiamentos de gastos. Apenas como comparação, o Real Madrid gastou 5 milhões de euros e o Barcelona 14 milhões de euros.


A dívida líquida do clube é de aproximadamente 343 milhões de euros, com base em suas finanças de 2016.


ESTÁDIO NOVO


Na próxima temporada, o Atlético de Madrid vai jogar no seu novo estádio, o Wanda Metropolitano, e as receitas certamente crescerão.


O novo local significará para o clube aumento na venda de ingressos, patrocínios comerciais, naming rights e camarotes. "Tradicionalmente a torcida do Atlético sempre pagou muito pouco para ter os carnês da temporada, então a receita ficava muito refém de uma participação ou outra na Champions League, onde o clube sempre era eliminado de forma precoce", lembra Amir. 


O consultor de gestão esportiva também destaca que o Atlético de Madrid largou na frente de Barcelona e Real Madrid na questão de renovar seu estádio e trabalhar a questão urbanística do entorno para aumentar as receitas. 


“Além disso, o Atlético vai usar o terreno do antigo estádio [Vicente Calderón], valioso na região de Madrid, para reduzir seu endividamento, o que é fundamental para o clube ter menos custos de empréstimos bancários, pois é necessário muito dinheiro no banco para poder operar”, conclui Amir.


Getty Images
Getty Images

Estádio Wanda Metropolitano vai alavancar ainda mais a situação financeira do Atlético de Madrid