Contratos longos amenizam janela do Atlético de Madrid

A esta altura do campeonato, já é de conhecimento geral que o Atlético de Madrid está proibido de sair ao mercado de verão em busca de contratações para os primeiros cincos meses da próxima temporada.


O elenco terceiro colocado do último Campeonato Espanhol não ganhará nenhuma cara nova até pelo menos o final do ano. Em compensação, também é garantia que não sofrerá nenhuma perda de maior ordem até dezembro. Nada de debandada. E a resposta para isto atende a dois fatores: comprometimento e contratos firmados a longo prazo.


Tudo começou com Antoine Griezmann, que foi o primeiro a deixar de lado as especulações e acenar positivo para sua permanência no clube. Em demonstração de lealdade com a torcida e com o momento do clube, renovou seu contrato até 2022, mantendo-se a cláusula de 100 milhões de euros.


Na onda do francês, o meia Koke não perdeu tempo e também confirmou sua renovação até 2024 (?!), subindo a cláusula de rescisão para 150 milhões de euros - a mais alta entre os jogadores do clube.


Getty Images
Getty Images

Koke e Griezmann têm multas estratosféricas para deixar o Atlético de Madrid


A situação de Saúl Ñiguez, outra peça essencial para a engrenagem de Diego Simeone, encaminha-se para o mesmo desfecho. Mesmo já com vínculo até 2021, deve haver em breve uma ampliação do contrato. 


Seguindo a tendência, outros 19 jogadores colchoneros possuem contrato até 2020 ou mais. Ferreira Carrasco, Thomas Partey e Lucas Hernández, por exemplo, têm contrato por mais cinco anos. Jan Oblak e Sime Vrsaljko possuem vínculo pelas próximas quatro temporadas. Por fim, a extensão dos contratos de José Gimenez, Stefan Savic e Nico Gaitán vai até 2020.


Outro que deve renovar nas próximas semanas é Fernando Torres, que pertence a categoria dos veteranos do elenco do Atlético de Madrid, que são avaliados temporada por temporada para selar uma renovação. Moyá, Juanfran e Gabi, outros jogadores com 32 anos ou mais, vestirão o manto colchonero pelos próximos meses, mas com vínculos que se concluem na metade de 2018.


Nome por nome, a relação de jogadores levantada pelo Canto Colchonero termina com Diego Godín, Filipe Luís e Augusto Fernández, ambos com compromisso com o Atlético de Madrid por mais duas temporadas.


Com a punição imposta pelo Tribunal Arbitral do Esporte, o Atlético de Madrid trabalha para fidelizar seus atletas e evitar ao máximo possíveis fugas como a de Theo Hernández, lateral-esquerdo atualmente emprestado para o Alavés, ao Real Madrid.


Por falar em jogadores por empréstimo, Axel Werner (Boca Juniors), Bernard Mensah (Vitória de Guimarães), Rafael Santos Borré (Villarreal), Luciano Vietto (Sevilla) e Diogo Jota (Porto) têm contratos firmados até 2021, enquanto Matías Kranevitter (Sevilla) é o único que assinou até 2020 - o que não deixa de ser um prazo bastante longo. 


Os dilemas do mercado


Se por um lado os contratos a médio-longo prazo seguram o atual elenco do Atlético de Madrid, por outro a probição de realizar transações afasta possíveis reforços. 


O caso de Sandro Ramírez é um forte exemplo. Companheiro de Saúl Ñíguez na seleção espanhola que atualmente disputa o Campeonato Europeu sub-21, Sandro foi alvo de interesse do Atlético de Madrid, mas a situação em relação ao TAS comprometeu totalmente a negociação.


Por isso, depois de uma grande Liga das Estrelas com o Málaga, o atacante revelado pelo Bracelona jogará a próxima temporada na Premier League, depois de acertar com o Everton de Ronald Koeman. 


Aproveitando a deixa do Campeonato Inglês, segue a novela Diego Costa. Depois de toda a polêmica com Antonio Conte no Chelsea, crescem a cada dia os rumores de uma possível volta ao Atlético de Madrid. 


Ainda não existe absolutamente nada oficial ainda, mas ventila-se a possibilidade de um empréstimo a alguma equipe de fora da Europa, podendo ser inclusive do Brasil, para manter o jogador em atividade e deixá-lo com ritmo de jogo para a segunda metade da temporada. A partir de janeiro de 2018, o Atlético de Madrid será autorizado a contratar e inscreveria Diego Costa para as disputas do Campeonato Espanhol, Copa do Rei e UEFA Champions League.


Você aprovaria a volta de Diego Costa ao Atlético de Madrid?


Getty Images
Getty Images

Depois de três anos, Diego Costa pode acertar sua volta ao Atlético de Madrid