Um mês de muitas emoções aguarda o Atlético de Madrid

Finalmente chegamos ao momento derradeiro da temporada. Maio é sinônimo de decisão no futebol europeu. É quando tudo se resolve e se decide. Para o Atlético de Madrid, o mês do Dia do Trabalho traz a certeza de emoção em abundância e em suas mais variadas nuances. 


Tudo se inicia nesta terça-feira, a partir das 15h45 (horário de Brasília). Para falar a verdade, a ansiedade vem tomando conta bem antes da véspera da bola começar a rolar. Ela começou naquela manhã de sexta-feira em que as bolinhas do sorteio da UEFA colocaram frente a frente Atlético de Madrid e Real Madrid em um dois duelos de semifinal da Champions League. De lá pra cá, só calmante mesmo. 


Em condições normais de temperatura e pressão, a angústia já seria gigante para um dérbi deste tamanho valendo por uma competição de primeira grandeza. Ela só aumenta quando existe um histórico pra lá de negativo por trás, apontando para duas decisões perdidas em um espaço de menos de três anos, uma em Lisboa, outra em Milão. Isso sem contar que no meio do caminho houve um confronto de quartas-de-final também sem êxito para o lado vermelho da capital espanhola. 


O grau de emoção cresce ainda mais quando o torcedor colchonero abre jornais e portais de notícias e depara-se com um dilema característico deste período de final de temporada: problemas físicos. José Giménez lesionou o adutor esquerdo e está fora das duas partidas contra o Real. Improvisado na lateral-direita na goleada diante do Las Palmas, Giménez vinha ocupando a lacuna da posição deixada por Juanfran, também no estaleiro.


Um problema e tanto para Diego Simeone, que têm à disposição um elenco bem mais curto que seu rival e jogadores quase esgotados. Não tem jeito, além de superarmos o rival merengue, temos que passar por cima de mais este obstáculo. 


Getty Images
Getty Images

Atlético de Madrid treinou no estádio Santiago Bernabéu nesta segunda-feira


"Apenas com o coração não vai dar, é preciso fazer partidas quase perfeitas". A mensagem do capitão Gabi é emblemática. Torcida, jogadores e comissão técnica sabem que raça e alma não vão faltar, muito provavelmente a equipe será soberana neste quesito. A grande questão é se o futebol do Atlético de Madrid, jogado no máximo do limite, será capaz de impedir que o Real Madrid dispute sua terceira final em quatro anos. 


Aperte os cintos que as emoções não param! Se o Real Madrid está no caminho pela UEFA Champions League, o Sevilla continua na cola pelo Campeonato Espanhol. A terceira colocação da Liga das Estrelas, que dá vaga direta a fase de grupos da próxima Champions, está longe de estar garantida e pode se arrastar até a última rodada. Se isso se confirmar, será mais um ingrediente de emoção para o jogo de despedida do Atlético de Madrid do estádio Vicente Calderón, contra o Athletic Bilbao.