Athletic segue perdido sob comando de Ziganda

Que os últimos placares não iludam o torcedor mais paciente ou distante: o Athletic Club não melhorou nada e está completamente perdido na gestão atual. No fim de semana, uma vitória sobre o Sevilla só maquiou a situação do adversário que depois viria a tomar sua maior goleada continental (5-1 contra o Spartak Moscou). Já nesta quinta (19), um empate sofrível e que merecia ser derrota para o Östersunds. Apesar de recuperar um ponto no fim do jogo, não foi resultado de uma luta incessante por um gol, mas um alívio mínimo e um gigante fiasco diante da provável eliminação do grupo mais fácil da Liga Europa.


Divulgação Athletic Club
Divulgação Athletic Club

Ziganda segue teimoso e afundando o Athletic nesta temporada


Uma vez mais, o gol "salvador" do empate saiu dos pés de um atleta inacreditavelmente colocado no banco. Iñaki Williams estava lá sentado, provavelmente pensando o mesmo que todos os demais: Por que ele não estava em campo? Já não questionamos mais, pois é sabido que a teimosia e invenções sem lógica de Ziganda estão levando o time ao limbo, ou talvez ao primeiro rebaixamento da história.


Sem marcar gols nos dois primeiros jogos, mesmo tendo o centroavante da Seleção Espanhola no elenco, o Athletic é um time que raramente vem criando chances decentes de gol e o placar apenas se abriu favoravelmente em função de um erro vergonhoso do goleiro do time sueco. Foi sorte mesmo termos empatado diante do humilde, organizado e raçudo time do Östersunds que dominou o jogo desde os três minutos iniciais.


Divulgação Athletic Club
Divulgação Athletic Club

Bravos torcedores! Viajaram milhares de km para ver essa coisa


Se houve algum destaque do Athletic, esse atende por Susaeta que correu e tentou salvar o resultado, arrancando pelo meio e quase anotando um golaço no fim da partida. Dos demais, é difícil criticar em meio a um esquema (ou amontoado) tático em que o meio fica vazio, o centroavante tem que buscar a bola e nada funciona. Lembra muito a formação do 7 a 1 contra a Alemanha, sério.


Além disso, a brava torcida do Athletic que cantou muito no começo do jogo, depois de uma longa viagem de aproximadamente 3.300km, merece uma homenagem. É difícil mesmo continuar empolgado após ver seu amado time levar um banho tático de um time pequeno e limitado como o adversário sueco, dando sequência a uma série de vexames em tão curto período.


Aupa Athletic!
@JorgeKadowaki
Siga-nos no Facebook! E também no Twitter!