Athletic consegue a façanha de perder em casa para o desconhecido Zorya Luhansk

Quando Ernesto Valverde tomou o rumo da Catalunha, uma dúvida ficou na mente de todo seguidor do Athletic Club: o que mudaria daquele time previsível e raçudo? Nos últimos anos, os Leones haviam virado uma equipe que só sabia jogar de uma maneira, mas quase sempre aquela forma servia. Em poucos jogos sob o comando de Cuco Ziganda, a resposta veio e deixamos de ser um time que só sabe jogar de um jeito. Agora não sabemos jogar de jeito nenhum, nem mesmo contra o fraco Zorya Luhansk.


Divulgação Athletic Club
Divulgação Athletic Club

Um time apático e só com Muniain se "matando". A foto que é a cara do Athletic atual


Ao completar cinco jogos sem vencer, sendo que foram três derrotas, o que se vê é a completa destruição do pouco de útil que Valverde havia deixado de herança ao Athletic. A impressão de todos é que, após quatro jogos patéticos, viria enfim uma partida para o time ganhar confiança, contra um adversário que tinha nível para disputar uma partida de igual para igual com o Bilbao Athletic, o time B dos bascos. De fato, era isso ou deveria ser isso.


Com atletas sem físico avantajado, não tendo uma tática de outro mundo e também sem ter alguém mais habilidoso, o Zorya Luhansk é candidato sério a ser o time mais fraco da fase de grupos da Europa League. Os ucranianos estavam há quatro jogos sem vencer, apenas na sétima posição da liga ucraniana e perderam em casa o jogo de estreia do torneio continental contra o também desconhecido Östersunds. A goleada era obrigatória, mas conseguimos perder por 1 a 0.


Divulgação Athletic Club
Divulgação Athletic Club

Muito passivo e silencioso no jogo, Ziganda (esq) reflete a apatia do Athletic


Por poucos segundos, a impressão dada pelo Athletic é que de fato jogaria e atropelaria o adversário, quando Muniain perdeu um gol feito. Depois disso, surgia um time mal distribuído em campo, com pouquíssima vontade e ainda errando passes que normalmente não erra. Nem mesmo o gol de cabeça desmarcado e na entrada da pequena área foi suficiente para mexer com os brios do time no meio do primeiro tempo. Cheguei a pensar que queriam derrubar o treinador, no pior modo tupiniquim.


Algo que me chamou a atenção (e que foi possível de ser notada pelo Watch ESPN) foi a volta do time no intervalo. Sem alterações, o que já apontava um erro porque todo jogo a equipe vem sendo mal escalada, o elenco passava pelo túnel e entrava no gramado de forma apática, sem conversar simplesmente. Como se fosse algo normal ou já estivessem goleando, a indiferença aparecia no semblante dos Leones. 


Uma leve melhora na dedicação em campo foi vista no segundo tempo, mas não o suficiente para vencerem, na verdade nem empatarem o jogo. O goleiro ucraniano também fez algumas boas defesas, mas considerando a fragilidade do adversário, o perdido time do Athletic nada conseguiu e provou ser candidato sério ao rebaixamento em La Liga.


Se Josu Urrutia não reconhecer o erro na escolha do treinador e não ter uma reunião séria com o elenco, teremos muito a perder nesta temporada. Até o poderoso Bayern já assumiu o erro e demitiu Ancelotti...


Aupa Athletic!
@JorgeKadowaki
Siga-nos no Facebook! E também no Twitter!