Melancolia, inveja e reflexão no fechamento da temporada do Athletic Club

Quis o destino (e a organização de La Liga) que a temporada acabasse com um Atlético de Madrid e Athletic Club, na despedida do Vicente Calderón. Nada mais justo para a própria história do clube da capital, inspirado no time basco, ter esse convidado de honra para realizar a última partida. Se para os donos da casa uns ficou a bela vitória e enorme festa, para os visitantes restou assistir a tudo sofrendo melancolicamente, invejando o momento dos madrilenhos e refletindo sobre a temporada.


Daniel Fernandes
Daniel Fernandes

Fechar a temporada na despedida do Vicente Calderón foi marcante


A MELANCOLIA

Fazendo um ponto nos últimos nove disputados, terminar em sétimo certamente ficou aquém de qualquer expectativa da torcida rojiblanca. Chegar atrás ainda da rival Real Sociedad foi um agravante nessa situação, principalmente depois de ter terminado relativamente bem na temporada anterior. E, convenhamos, ter que torcer para o Barcelona contra um time basco na final da Copa do Rei é duro de aceitar só para ter uma vaga na Liga Europa.


Com jogos marcados por teoricamente usar a melhor opção de elenco, ficou claro que o desânimo do time reflete algo de errado internamente. Não é natural que uma equipe ainda com boas chances de classificação para o objetivo oficialmente declarado no ano passado (a vaga na Liga Europa) acabe jogando tão pouco, com tanta desatenção e resignação. Isso que ainda todos os adversários diretos colaboraram para dar chances ao Athletic.


Daniel Fernandes
Daniel Fernandes

2017 para o Atlético, o futuro. Já para o Athletic...


A INVEJA

Não só pela fase do adversário e pelas conquistas recentes, o apaixonado por futebol e por ir ao estádio acaba claramente tendo que admitir que a agitação da torcida do Atlético, tanto na derrota quanto na vitória, mostra a relação do público com o clube. A inveja nessas horas é inevitável, ainda mais sendo torcedor de um time que vive da paixão, da afinidade de uma comunidade com o clube que só joga com atletas da região.


Mesmo tendo patrocinadores mais fortes, permitindo gastar mais com elenco, a comparação dos treinadores do jogo é algo chocante. Sendo dois ex-jogadores de seus respectivos clubes, o nível de intensidade e entrega de Simeone chega a ser uma provocação para quem vê um Valverde que não parece se incomodar com nada. Não se incomodou com a eliminação na Liga Europa para o fraco Apoel Nicosia, não falou grosso ao falhar nos jogos finais... lamentável.


Daniel Fernandes
Daniel Fernandes

Athletic, o convidado de luxo para a despedida do Vicente Calderón


A REFLEXÃO

Um desastre de temporada como esse leva a torcida a falar nas redes sociais. Muita gente faz caça às bruxas, culpando esse ou aquele atleta. A memória costuma ser curta, apontando quem falhou mais recentemente, mas o campeonato tem 38 rodadas e pontos jogados fora contra times absurdamente mais fracos foram cruciais. E o pior, em jogos apáticos, sem entrega alguma dos Leones.


Em qualquer instituição, quando um líder não se incomoda e não coloca energia nas coisas, os liderados sentem que algo não vai bem. Pelo que a mídia em geral vem falando, o anúncio da ida de Valverde ao Barcelona está programado para depois da final da Copa do Rei. Certamente, esse clima de "vai, não vai" e até a certeza da saída do treinador impactaram o elenco. Basta ver o Sevilla que, mesmo se classificando para a Champions, vê sua torcida incomodada com Sampaoli.


Daniel Fernandes
Daniel Fernandes

Restou admirar a festa e refletir sobre o que foi a temporada


Ao Athletic, resta juntar os cacos da temporada e se reinventar para 2017/2018. Pelo que também se comenta, José Ángel "Cuco" Ziganda, treinador do Bilbao Athletic deverá suceder Valverde no comando do time principal. Não me parece ser a renovação de que o clube precisa, mas algo além do fato de conhecer a maior parte do elenco conta positivamente: ele teria recusado outras propostas e esperado sua chance para ser treinador, ou seja, é alguém que quer estar no clube. Melhor que alguém que estaria "empurrando com a barriga".


E sobre a inusitada escolha de fotos, já que não havia torcida do Athletic (e aparentemente não tinha time também), nada mais justo que admirar a festa do torcedor e com fotos de um deles, amigo meu. Mudou-se há alguns anos para Madri e escolheu o Atlético pela torcida que possuem. Que a energia das arquibancadas volte ao San Mamés também.


Aupa Athletic!
@JorgeKadowaki
Siga-nos no Facebook!